Em 1962, John Anglin, Clarence Anglin e Frank Morris fugiram de Alcatraz, de forma desafiadora e engenhosa. Até hoje, o feito continua sendo um mistério. Ao longo das décadas, desde que os três escaparam da prisão de segurança máxima, tem se acreditado que os criminosos não sobreviveram às águas traiçoeiras da Baía de São Francisco, pois os corpos nunca foram encontrados. O especial de duas horas de duração "Alcatraz: Em busca da verdade", o canal History leva a investigação dada como encerrada a um novo patamar, por meio de novos fatos e depoimentos de familiares dos fugitivos.

- Publicidade -

Pela primeira vez, as famílias dos criminosos concordaram em colaborar com investigadores, compartilhando evidências inéditas, como gravações de áudio, fotos, cartões postais e segredos familiares que provam que, não somente os fugitivos sobreviveram à fuga, como podem estar vivos ainda hoje, inclusive vivendo no Brasil.

O especial, que teve grande repercussão internacional, acompanha Ken e David Widner, sobrinhos de Jonh e Clarence Anglin, enquanto colaboram com o militar aposentado Art Roderick, que foi investigador-chefe do caso Alcatraz, na busca para resolver o caso mais notório de fuga da história norte-americana. Das terras pantanosas da Flórida até a estranha ilha de Alcatraz, eles viajarão atrás de novas pistas para solucionar esse mistério de 54 anos.

"Alcatraz: Em busca da verdade" estreia dia 12 de março, às 22h no canal History

- Publicidade -