Nesta quinta (12), quando os “Crimes de Maio” completam 10 anos, o Futura lança o documentário “Não saia hoje”. O filme retrata a trajetória de um grupo de mães que luta em memória de seus filhos assassinados em São Paulo durante uma série de ataques envolvendo policiais e o crime organizado.

- Publicidade -

Em maio de 2006, São Paulo foi palco de uma série de ataques envolvendo policiais e o crime organizado. Ao longo de uma semana, foram assassinadas mais de 500 pessoas em todo o Estado de forma indiscriminada e, ainda hoje, os responsáveis pelas mortes não foram punidos nem a chacina saiu da invisibilidade. O filme parte da experiência de um grupo de mães da periferia de Santos, em São Paulo, que busca justiça pelo assassinato de seus filhos no que é considerado um dos maiores massacres da história recente do Brasil.

O título “Não saia hoje” faz referência à frase que foi dita por Débora Maria, fundadora do coletivo Mães de Maio, ao seu filho Rogério, que mesmo após o toque de recolher, saiu de casa e acabou sendo morto. Assim como outras mães, Débora Maria é protagonista de uma história de luto e esperança. Junto de Vera dos Santos e Lúcia Andrade, ela conta como reconstruiu sua vida e forjou para si um novo lugar de empoderamento, força e solidariedade.

O documentário “Não saia hoje” é uma produção do Canal Futura em parceria com a Modo Operante e foi vencedor do 6ª pitching DOC Futura, promovido todos os anos pelo Canal. O documentário estreia dia 12 de maio, às 21h no Futura.

- Publicidade -