Nesta segunda-feira, dia 29, o Copacabana Palace, hotel tradicional da cidade do Rio de Janeiro, ganhou uma vestimenta diferente. Para homenagear os 50 anos de carreira do humorista Renato Aragão, a cenógrafa Cris Delamare decorou a entrada do evento com elementos que representam Sobral, a cidade do interior cearense onde nasceu o artista. Redes e toalhas de renda foram penduradas nas paredes, enquanto cactos e malas de couro enfeitavam o chão que remetia à terra do sertão. Abençoando os convidados, e numa alusão ao gesto do artista ao subir ao Cristo Redentor, havia também uma estátua do Cristo, com um boneco de Renato beijando sua mão esquerda.

A celebração dos 50 anos do artista, que culminará com um especial de fim de ano sobre sua vida previsto para ser exibido na TV Globo no dia 22 de dezembro, foi marcada por emoção e, é claro, muita animação. “É uma alegria estar nesta festa que mexe e remexe o baú da minha vida. É um dos momentos mais emocionantes da minha carreira. Reencontrei pessoas com quem vivi aventuras na realidade e na fantasia”, disse Renato.

Em um palco montado no evento, Patrícia Poeta, que entrevistou Renato para o especial de fim de ano, deu início às homenagens ao artista ressaltando a emoção de conversar com um ídolo de infância. Todos nós conhecemos e nos divertimos com o Didi. “No programa, vamos conhecer mais da vida desse homem tão bondoso e especial que é o Renato”, disse a jornalista. Logo em seguida, o ator Edson Celulari leu dois poemas que Renato escreveu. “Quando o homem ultrapassa seus limites, ele está bem perto de Deus”, dizia um trecho.

Jayme Monjardim e Teresa Lampreia, respectivamente diretor de núcleo e diretora do especial de fim de ano sobre Renato Aragão, prepararam um clipe do programa para os convidados, que foi exibido em várias tevês instaladas no Bar do Copa. Entre tantas cenas tocantes está uma em que o jovem Renato busca o resultado de um teste que fez para ter um programa na TV Ceará, que ia inaugurar, e descobre que passou. Feliz e desconcertado, ele diz: “Mas eu sou um blefe, nunca fiz nada”. Quem interpreta o Renato jovem no especial é o ator Vinícius de Oliveira. “Me preparei vendo filmes e programas dos Trapalhões, além de entrevistas do Renato, já que era tudo surpresa para ele. Ele é uma pessoa simples, que tem uma verdade no olhar, e eu busquei transmitir isso”, disse o ator. Para Jayme Monjardim, “o humor do Renato é puro e popular, encanta famílias e atravessa gerações”.

Ao falar sobre Didi, Renato Aragão contou que a graça do personagem para as crianças é que ele não é como um professor, que só ensina. “Didi é, na verdade, um cúmplice, é uma criança também”, explica. Emocionado, depois de ver o clipe do programa, o homenageado falou: “Não foram só flores, passei por momentos difíceis, mas persegui meu sonho”.