Produzida pelo Instituto Vladmir Herzog, a série Resistir é Preciso, que chega à tela do canal de televisão por assinatura History, no dia 9 de junho, às 18h, conta trechos da história da ditadura militar no Brasil, a partir das publicações, jornalistas, escritores e ativistas que formalizaram a resistência ao golpe de 1964, por meio da imprensa escrita.

- Publicidade -

Apresentada pelo ator Othon Bastos, Resistir é Preciso traz depoimentos de jornalistas que atuaram nos veículos da imprensa alternativa, tanto os clandestinos quanto os produzidos por brasileiros exilados no exterior.

A série conta a história de jornais alternativos como PifPaf, O Pasquim, Bondinho, Opinião, entre outros, e relata desafios, perseguições e os bastidores da criação, produção e circulação dessas publicações.

No episodio de estreia, Como tudo começou, 50 dias depois do golpe militar de 1964, nasce a imprensa de resistência. A revista PifPaf torna-se a primeira publicação de oposição à ditadura militar, puxando o fio da meada que se espalhou pelo país e recebeu o nome de imprensa alternativa, enfrentando a repressão dos órgãos policiais.

Em seguida, às 18h30, em Um barão que não era barão, a produção conta a história e a obra do jornalista Apparicio Torelly, conhecido como o barão de Itararé, o pai do humorismo brasileiro. Reunidos num bar, jornalistas e especialistas lembram sua trajetória e suas frases que criaram um estilo.

- Publicidade -