De 11 a 22 de janeiro, o ID exibe o “Especial 10 a 10”, faixa de programação que vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 22h10, composta por dez dias de produções sobre casos de polícia que envolveram personalidades e celebridades.

A cada dia, esses crimes ou mistérios que tiveram pessoas famosas como protagonistas ganham análises em profundidade a partir de materiais de arquivo e de depoimentos de fontes próximas às vítimas ou que participaram das investigações: são detetives, policiais, jornalistas e familiares que ajudam a recapitular as circunstâncias controversas em torno das mortes de Aaron Hernandez, de Brittany Murphy, Natalie Wood e Jeffrey Epstein, além dos casos que envolveram Harvey Weinstein, Bill Cosby, Paolo Macchiarini e Joe Exotic.

O caso do ex-jogador de futebol americano Aaron Hernandez abre o “Especial 10 a 10” na segunda-feira, 11 de janeiro, às 22h10. Em “Dossiê ID: Aaron Hernandez”, Hernandez foi um prodígio do esporte. Contratado pelo New England Patriots quando havia acabado de sair da categoria universitária, ela foi o jogador mais jovem a disputar a liga de futebol americano em sua temporada de estreia, em 2010, quando tinha apenas 20 anos.

Enquanto a trajetória nos campos era promissora, fora deles um destino trágico se aproximava – das investigações em torno do assassinato de Odin Lloyd, em junho de 2013, ao midiático julgamento de Hernandez, acusado do crime, à misteriosa morte do ex-atleta na cadeia.

Na terça, 12 de janeiro, “Dossiê ID: Brittany Murphy” (Brittany Murphy: An ID Mistery) retorna ao dia 20 de dezembro de 2009, quando o corpo da atriz foi encontrado, ainda com vida, no chão do banheiro da mansão onde morava com sua mãe, Sharon, e com o marido, o roteirista, produtor e diretor Simon Monjack.

Jovem, bonita, famosa, dona de uma carreira de sucesso em Hollywood e de talento promissor, a atriz Brittany Murphy faleceu pouco depois, aos 32 anos, em circunstâncias que ainda hoje permanecem cercadas por dúvida e mistério. Em uma hora de duração, o especial retoma os eventos em torno da morte de Brittany e revisita os trabalhos de apuração independente conduzido pelo pai da atriz, Angelo Bertolotti.

“Era Tudo Mentira” fecha a programação especial na sexta-feira, 22 de janeiro, com a perspectiva íntima de uma grandiosa história de amor que deu muito errado. Em dois episódios de uma hora, a minissérie se baseia no encontro entre a premiada produtora de jornalismo televisivo Benita Alexander e o brilhante e renomado cirurgião Paolo Macchiarini. Ao reconstituir os momentos emblemáticos do relacionamento a partir das memórias – entre vídeos e fotos do casal – apurações e entrevistas reunidas e conduzidas pessoalmente por Benita, a produção narra como o idílio desmoronou e se transformou em uma trama de mentiras e traições.

“Especial 10 a 10” vai ao ar de 11 a 22 de janeiro, de segunda a sexta-feira, às 22h10 no Investigação Discovery.