Com direitos de exibição exclusiva, o Arte 1 estreia o documentário inédito na televisão “Dior e Eu”. Dirigido pelo francês Frédéric Tcheng, o longa entrou em cartaz nos cinemas brasileiros em agosto de 2015. A produção é uma oportunidade de conhecer os bastidores da criação de peças de alta-costura e a passagem relâmpago e marcante do estilista belga Raf Simons, que deixou a grife alemã Jil Sander e assinou a direção criativa da grife francesa Christian Dior de 2012 a dezembro de 2015.

- Publicidade -

A entrada do estilista gerou grandes expectativas na sede e na imprensa, já que ele tinha pela frente o desafio de apresentar a sua primeira coleção de alta-costura em apenas oito semanas. Simons ainda precisava respeitar o legado de Dior e, ao mesmo tempo, deixar sua marca na grife. O documentário acompanha os seus primeiros meses do estilista, retratando seu processo criativo e as agitações de seu primeiro lançamento.

No filme, o diretor Frédéric Tcheng utiliza a autobiografia do fundador da grife como recurso narrativo, fazendo sempre um paralelo entre as histórias de Christian Dior com os desafios do jovem estilista. A produção mergulha na mansão histórica e em seu ateliê, mostrando toda a importância e relevância dos profissionais que atuam nos bastidores da moda. Entre eles estão costureiras e premières de alta-costura, algumas com 40 anos de Dior, que também deixam sua marca nas peças.

“Dior e Eu” estreia dia 19 de janeiro, à 0h no Arte 1.

- Publicidade -