Os Mobylas são apaixonados por duas rodas, mas longe de serem requintados. Trabalham com máquinas e restauro, mas do seu próprio jeito e no seu próprio universo: o dos motores dois tempos e cinquenta cilindradas. Eles têm hábitos e histórias peculiares, e estão no meio da megalópole de São Paulo. Pra completar, se metem em enrascadas e perigos de forma proposital. E são os personagens de Mobylas, a nova produção nacional do History que, em 13 capítulos, apresenta a história e a realidade de uma cena ainda desconhecida do grande público. A série estreia no dia 18 de novembro, a partir das 18h15.

- Publicidade -

Fanáticos por mobiletes, fabricadas entre os anos 1960 e 1990 e que está entre uma moto e uma bicicleta, eles se uniram numa equipe chamada Clube Tongnhas, único Mob Clube do Brasil, com sede em São Paulo. O nome é uma referência ao triciclo, primeiro contato dos humanos sobre rodas, conhecido como tonguinha. Mobylas mostra o cotidiano, brigas, afetos, manias e o estilo de vida nada convencional dos integrantes do Tongnhas – que inclui jaquetas de couro personalizadas, muita graxa e fumaça, além de morcego como animal de estimação, tatuagens e churrascadas.

A equipe, considerada uma família, é composta pelo presidente Taboca, Alípio, Makelele, Pobre, Grilo, Pé Grande, Atibaia, Senninha e o novato Sabugo. Eles colecionam e constroem peças, montam e incrementam as mobiletes, correm atrás de patrocínio e participam de provas de arrancada, entre outras competições. E ainda se divertem.

Quando vimos esses figuras com cara de quem tem motonas, como Harley Davidson, aprontando muito com suas mobilettes, sabíamos que a audiência History também ia se divertir. Mobylas apresenta ao telespectador uma subcultura pouco conhecida no Brasil, já que existem séries de carros e motos, mas nada parecido com esse universo”, afirma Krishna Mahon, diretora de Conteúdo Original do HISTORY.

- Publicidade -