O canal de TV por assinatura Nat Geo estreia no domingo, dia 11 de abril, a partir das 22h, o documentário "Os Gêmeos de Mengele". A produção apresenta fatos que provariam que o "anjo da morte" continuou suas experiências no Brasil após o fim da guerra.

Conhecido como o “Anjo da Morte”, Josef Mengele passou anos realizando múltiplas experiências com os presos de Auschwitz, com interesse especial naqueles realizados com gêmeos. Depois da guerra, ele fugiu para a América do Sul, onde permaneceu escondido até sua morte, em 1979.

Porém, Mengele deixou lembranças perturbadoras de uma existência difícil de esquecer. A maioria dos gêmeos que integraram suas experiências foram assassinados. Aqueles que sobreviveram contam histórias horríveis.

Em 2009, uma estranha história correu o mundo, sendo narrada como fato pelos jornais de todo o planeta: Josef Mengele, o médico infame dos campos de concentração nazistas, poderia ter obtido êxito em seu objetivo de criar uma “raça superior” de loiros de olhos azuis.

Um historiador disse ter provas que as terríveis experiências de Mengele com irmãos gêmeos podem não ter terminado em Auschwitz e que seu esforço para criar uma raça ariana pura continuou e teve êxito na América do Sul, mais precisamente no interior do Brasil. Em um pequeno vilarejo, com uma área de 2 km2 , existe uma comunidade com cerca de 80 famílias, entre as quais dizem haver 38 pares de gêmeos, todos loiros e de olhos azuis.

Há rumores que na década de 1960, um médico alemão costumava frequentar as propriedades para tratar pacientes. Fala-se de um homem com um laboratório móvel que colhia sangue das pessoas e realizava experiências com as mulheres locais. Segundo alguns moradores, as experiências incluiam aplicações de injeções, pílulas, novos tipos de remédios e até mesmo inseminação artificial.