Reexibida somente uma vez em 1977, “O Bem-Amado” volta a ser exibida a partir desta segunda (15) no Globoplay. A novela de 1973, que marcou a história como o primeiro folhetim em cores do Brasil e o primeiro a ser comercializado internacionalmente pela Globo, a novela segue como uma obra atemporal.

Escrita por Dias Gomes, a trama começa com o corrupto e demagogo Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), que se candidata a prefeito de Sucupira e se elege com o slogan “Vote em um homem sério e ganhe um cemitério”. O problema é que ninguém morre para que a obra seja inaugurada. Por isso, o prefeito resolve consentir a volta do matador Zeca Diabo (Lima) à cidade com a garantia de que ele não será preso. A esperança é que ele lhe arranje um defunto.

O prefeito só não esperava que Zeca Diabo voltaria a Sucupira disposto a nunca mais matar ninguém, pois quer virar um homem correto. Odorico tem como aliadas as irmãs Cajazeiras – Doroteia (Ida Gomes), Dulcineia (Dorinha Duval) e Judiceia (Dirce Migliaccio), que mantêm relacionamentos amorosos com o prefeito sem desconfiarem umas das outras – e Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz), seu fiel secretário pessoal.

“O Bem-Amado” estreia dia 15 de fevereiro no Globoplay.