Foi realizado no Rio de Janeiro nesta segunda-feira, dia 14 de dezembro, um leilão organizado pelo Tribunal de Justiça para a venda da operação de telefonia móvel da Oi. O consórcio formado pelas operadoras Tim, Claro e Vivo venceu a disputa e comprou a Oi Móvel por R$ 16,5 bilhões.

A Tim é a empresa que terá maior parcela do ativo leiloado. A operadora ficará com 40% da base de clientes, 49% das estações radiobase e 49 MHz de espectro que a Oi possui. Como consequência, a Tim vai pagar a maior parcela da negociação: R$ 7,3 bilhões (44% do valor total).

A Claro já concentra a maior fatia de espectro nacional e não receberá nenhuma frequência da Oi Móvel. Terá 32% da base de clientes e 32% dos sites disponíveis (4,2 mil). A operadora vai investir R$ 3,7 bilhões na compra (22% do valor total).

Já a Vivo ficará com 43 MHz, 29% da base de clientes e 2,7 mil estações radiobase. A operadora vai desembolsar R$ 5,5 bilhões (33% do valor total).

A venda ainda vai demorar alguns meses para se concretizar. A expectativa é que saia apenas no final de 2021. Todo o processo precisa ser aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Os serviços de TV por assinatura da Oi deverão ser leiloados no início de 2021. A operadora deverá focar no serviço de internet rápida via fibra ótica.