net A participação da personagem Valdirene, interpretada por Tatá Werneck na novela Amor à Vida, no reality show Big Brother Brasil se tornou uma grande ação junto ao público para alavancar a audiência do programa e da novela já em reta final. Sua entrada aconteceu nesta quarta-feira, dia 15 de janeiro, mas foi vista e acompanhada basicamente pelos assinantes da NET.

Para a cobertura do Big Brother Brasil a Globosat disponibilizou três canais em alta definição para todas as operadoras, segundo fontes ouvidas pela Redação VCFAZ.TV. No entanto, devido a limitações ou questões contratuais/pontuais, praticamente quase todas as operadoras optaram por transmitir apenas o canal principal e o mosaico BBB, ambos em versão SD.

A NET, ao contrário, resolveu investir e disponibilizou os três canais (principal, secundário e mosaico) tanto em SD quanto HD para seus assinantes interessados.

Em uma decisão um tanto questionável a Globosat então optou por transmitir toda a participação de Valdirene apenas pelo canal secundário do BBB, disponível quase que com "exclusividade" na NET. Além disto, a programadora excluiu o canal Mosaico e em seu lugar disponibilizou um outro ponto de vista daquilo que já era exibido pelo canal principal. Assim, o assinante que pagou quase 200 reais pelo pay-per-view e esperava ver Valdirene acabou tendo dois canais para ver a mesma coisa de câmeras diferentes, mas com o mesmo áudio.

Vale ressaltar que nem mesmo o áudio de Valdirene foi transmitido pelo canal principal e pelo "mosaico" durante quase toda sua participação. O áudio também estava disponível apenas para o segundo canal disponível para os assinantes NET.

Os assinantes que buscaram o serviço Globo.TV+ para acompanhar a participação de Valdirene também ficaram frustrados. Apesar do anúncio de cobertura através de 10 câmeras, apenas a transmissão principal tinha áudio. As demais câmeras ficaram mudas, algumas mostrando apenas o completo vazio da casa.

Assinantes de outras operadoras como SKY, Claro e mesmo do Globo.TV+ utilizaram as redes sociais como Twitter e Facebook para reclamar da "estratégia" adotada pela programadora.