[creditos:7be1ed0f2e]
Record, RedeTV! e SBT deixarão grade de programação da NET, Claro, SKY, Vivo e Oi (Divulgação)[/creditos:7be1ed0f2e]As emissoras abertas Record, RedeTV! e SBT endureceram o diálogo e começaram a comunicar ao público em geral que deixarão a grade de programação das operadoras NET, Oi, Vivo, Claro e SKY a partir do próximo dia 29 de março.

Em comunicado lido pelo jornalista Celso Freitas e divulgado durante os intervalos comerciais, as emissoras alegam que estas empresas (NET, Claro e SKY) "se recusam a negociar os direitos de transmissão com Record TV, SBT e RedeTV, ao contrário do que já fazem com grupos estrangeiros e até com outras emissoras nacionais".

O comunicado informa ainda que juntas as emissoras detêm grande parte da audiência da TV aberta. "Lamentamos a falta de diálogo das operadoras, o que impediu um acordo que respeitasse o desejo do público brasileiro", complementa a mensagem.

A Simba Content divulgou nota oficial sobre o caso. Confira:

"A Simba Content esclarece que está em negociação nesse momento com as operadoras de canal por assinatura e que fará todo o esforço para que o cliente dessas empresas não fique sem o conteúdo das três emissoras que, juntas, representam uma parte significativa da audiência na televisão paga.

A Simba esclarece que seu conteúdo já está disponível para todo o cidadão brasileiro através do sinal digital de forma totalmente gratuita."

De acordo com o Acordo em Controle de Concentração publicado pelo Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – em maio de 2016, o Simba pode negociar livremente os valores a serem cobrados de grandes operadoras (que possuem mais de 20% de concentração de mercado), das operadoras médias (entre 5% e 20% de concentração) o preço não deve ser superior aos demais praticados por outras emissoras abertas. Já as pequenas operadoras possuem menos de 5% do mercado poderão receber os sinais gratuitamente sem qualquer cobrança.

Atualizado em 25 de março, às 12h:

As emissoras atualizaram o comunicado e passaram a informar a saída também das operadoras Vivo e Oi, além das já citadas anteriormente (NET, Claro e SKY).