canalbrasil Um jovem prestes a debutar. Assim é o Canal Brasil, que no dia 18 de setembro completa 15 anos de existência. Ao longo desse tempo, já foram exibidos mais de 1500 longas, 200 médias, 1100 curtas e 200 shows, isso sem falar nas inúmeras séries. Todas as atrações refletem a pluralidade cultural do país, sem limitação geográfica, de sotaques ou costumes. Passaram ainda pela grade obras portuguesas, francesas, africanas, além dos títulos sul-americanas do Cone Sul.

- Publicidade -

Em 2006, o Canal Brasil passou a investir também na produção cinematográfica. Desde então, foram mais de 70 projetos apoiados. Para celebrar essa data tão emblemática, o assinante poderá conferir cinco desses filmes. A estreia será no dia exato de aniversário com o documentário "Loki – Arnaldo Baptista" (2009), o primeiro filme 100% produzido pelo canal. A programação segue com "Canções do Exílio, A Labareda Que Lambeu Tudo" (2011); "Waldick – Sempre no Meu Coração" (2008); "Dzi Croquettes" (2010) e "Rock Brasília – Era de Ouro" (2011).


Arnaldo Baptista é destaque de documentário
Divulgação/Canal Brasil

A programação começa com "Loki – Arnaldo Baptista" no dia 18 de setembro, às 22h. A história de talento e superação de um dos maiores nomes do rock brasileiro. Arnaldo Baptista tem sua incrível trajetória revelada nesta cinebiografia, dirigida por Paulo Henrique Fontenelle. Produzido, finalizado e distribuído de forma independente pelo Canal Brasil – que, pela primeira vez, assina a produção de um longa-metragem –, o documentário é embalado por músicas que marcaram época. Depoimentos fortes e imagens raras ilustram a rica e muitas das vezes misteriosa vida do compositor, cantor, baixista e pianista. A narrativa é, ao mesmo tempo, poética, dramática e divertida, costurada com delicadeza por entrevistas emocionantes, enquanto o artista pinta um imenso e emblemático quadro.

"Canções do Exílio, A Labareda Que Lambeu Tudo" vai ao ar dia 19 de setembro, às 22h. Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jards Macalé e Jorge Mautner relembram momentos marcantes em suas trajetórias no longa-metragem dirigido por Geneton Moraes Neto. A expatriação de Gil; o interrogatório a que Caetano foi submetido ao visitar sua terra natal; o choque de Macalé ao sair do verão brasileiro diretamente para o inverno londrino; as discussões de Mautner em defesa do Brasil como um país do futuro; e os diálogos com o cineasta Glauber Rocha são alguns dos temas abordados. Produção do Canal Brasil em parceria com a Multipress Digital, o filme conta com a participação especial da atriz Lorena da Silva e do ator Paulo Cesar Peréio. Já dia 19 de setembro, às 22h é a vez de "Waldick – Sempre no Meu Coração" marca a estreia de Patrícia Pillar na direção remonta a trajetória de um ícone de sua infância: o cantor e compositor Waldick Soriano, símbolo da música romântica brasileira. Em 2005, a atriz deixou de acompanha-lo apenas nas rádios para registrar, com uma pequena equipe de filmagem, shows apresentados no interior cearense, sua volta à cidade-natal e a passagem por São Paulo. As imagens, costuradas por entrevistas com o artista e pessoas que acompanharam sua carreira, constroem o documentário.


Grupo "Dzi Croquettes" é retratado em documentário
Divulgação/Canal Brasil

"Dzi Croquettes" é destaque do dia 21 de setembro, às 22h. O adjetivo “irreverente” atingiu um novo grau de entendimento depois da criação dos Dzi Croquettes. Desobediente e debochado, o grupo desrespeitou a ordem do regime militar com inteligência e ousadia. Sob a direção de Tatiana Issa e Raphael Alvarez, o documentário produzido pelo Canal Brasil em parceria com a Tria Productions narra a história desses revolucionários, que quebraram tabus, tornaram-se mitos no cenário teatral brasileiro e ganharam elogios da vanguarda de Paris. “Nem homem, nem mulher: gente!” Este era o lema dos responsáveis por um importante movimento artístico e social do Brasil nos anos 1970. Representando a contracultura, eles abriram portas, lutaram contra a ditadura de maneira irônica, balançando a estrutura sexual vigente e mostrando que o ser humano pode, ao mesmo tempo, ser masculino e feminino.

E finalizando, dia 22 de setembro, às 22h, vai ao ar "Rock Brasília – Era de Ouro". A década de 1980 é considerada a “era de ouro” do rock no país. Na cidade de Brasília, capital federal, a cena musical viveu uma efervescência inédita com o surgimento de bandas que fizeram história: Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude. Até hoje cultuados por milhares de fãs, os grupos deixaram um legado atemporal, numa mistura de poesia e rebeldia. Para revelar detalhes desse importante movimento, o longa dirigido por Vladimir Carvalho – produzido pelo Canal Brasil em conjunto com a CKI Marketing, Entretenimento e Cultura – conta com depoimentos de Renato Russo, Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá, Dinho Ouro Preto, dos irmãos Flávio e Fê Lemos e Philippe Seabra, além de outros personagens que foram impactados por essa geração, como Herbert Vianna, João Barone, Bi Ribeiro e Caetano Veloso.

Programação especial "15 Anos de Canal Brasil" tem inicio dia 18 de setembro, às 22h no Canal Brasil.

Saiba mais:
Setembro: Confira os destaques da "Seleção Brasileira" do Canal Brasil

- Publicidade -