Você está lendo um tópico
Novo Tópico Responder Mensagem 

Forum
Papo Aberto   
Tiros deixam 8 mortos em escola de Suzano (SP)
As mensagens são de responsabilidade de seus autores.
Este tópico possui Mensagens respostas e Visualizações visitas.
Anterior  1, 2, 3, 4  Próximo


mauro_directv, 13/3/19, 18:07       
anos | Abr 2008 | Mensagens: 2994 | Foz do Iguaçu - PR
     

Tiroteio em escola de Suzano: tudo o que se sabe até agora

Dois jovens, um de 17 e outro de 25 anos, invadiram uma escola estadual na cidade da grande São Paulo e vitimaram, ao menos, oito pessoas

Por Clara Cerioni

São Paulo — Na manhã desta quarta-feira (13), a Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, foi palco de um massacre, que deixou, até agora, ao menos dez mortos.

Segundo a Polícia Militar, um adolescente e um homem encapuzados atiraram em diversas pessoas dentro da instituição e cometeram suicídio em seguida. Os dois são ex-alunos do colégio.

Veja o que se sabe até agora sobre o ataque:

O que aconteceu?
Por volta de 9h40 da manhã, uma dupla invadiu as dependências da escola e abriu fogo contra alunos que estavam no local. Depois, os atiradores se suicidaram.

A polícia foi acionada e chegou em oito minutos. De acordo com o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, João Camilo Pires,a força tática estava a dez metros dos assassinos quando eles se suicidaram.

Os dois atiradores estavam prestes a entrar em uma sala com dezenas de alunos. “Ao final, no fundo do colégio, os agressores se depararam com a força tática da Polícia Militar. Eles estavam prestes a entrar em uma sala com dezenas de alunos. Foi quando cometeram o suicídio”, afirmou.

Quem são os atiradores?
A polícia identificou que os dois atiradores são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, que estava junto com Henrique de Castro, de 25 anos.

Ambos são antigos alunos da escola. O mais novo, segundo o secretário, estudou no colégio até o ano passado.

Como aconteceu?
Segundo relatos colhidos de testemunhas, os dois atacaram, primeiro, o dono de um lava-jato próximo à escola. Ele foi ferido e levado para o hospital.

Cerca de dez minutos depois, eles seguiram até a instituição de ensino. Eles estavam em um carro branco alugado, estacionaram em frente ao portão do colégio e entraram pela porta da frente, que estava aberta.

Os dois aparentemente foram recebidos por Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica, afirmou o secretário de Segurança.

Não se sabe se os assassinos chegaram à escola encapuzados. Eles atiraram na coordenadora, que morreu na hora. Em seguida, o alvo foi uma funcionária, que também veio a óbito.

A ação foi orquestrada na hora do intervalo dos alunos do ensino médio, os únicos que têm aula pela manhã. No pátio, os atiradores abriram fogo. Quatro adolescentes foram mortos e diversos feridos.

Depois, eles seguem para o centro de línguas que funciona na escola, em outro andar. Lá, a professora e os alunos se trancaram em uma sala. Do lado de fora, os dois se suicidam.

Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (13), o secretário de Segurança relatou que a força tática da Polícia Militar estava a dez metros dos assassinos, quando eles se suicidaram.

Quem são as vítimas?
Até agora, há dez vítimas fatais.

Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica

Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionária da escola

Pablo Henrique Rodrigues, aluno

Cleiton Antonio Ribeiro, aluno

Caio Oliveira, aluno

Samuel Melquíades Silva de Oliveira, aluno

Douglas Murilo Celestino, aluno

Jorge Antonio de Moraes, comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola; ele é tio de Guilherme, um dos assassinos.


https://exame.abril.com.br/brasil/tiroteio-em-escola-em-suzano-tudo-o- que-se-sabe-ate-agora/




Editado pela última vez por mauro_directv em 13/3/19, 18:25. Editado 1 vez.
Responder com Citação   




masilmo, 13/3/19, 18:11       
anos | Fev 2006 | Mensagens: 255 | São Paulo - SP
     


Ah sim... Realmente a culpa não é dele. Até porque passar pano sempre é mais fácil. Não é mesmo?
Ele não puxou o gatilho mas as palavras cruéis, o incentivo e os gestos dele durante a "vida política" e a eleição passada INFLUENCIARAM SIM! E com o aval do seu eleitorado.
Hopocrisia tem limites. Aos eleitores dele, um recado: suas mãos também estão sujas de sangue. Se você compactuou o com o discurso e fez vista grossa, vc é culpado também.

Esse peso eu não carrego.




Editado pela última vez por masilmo em 14/3/19, 14:36. Editado 1 vez.
Responder com Citação   

Rafa!, 13/3/19, 22:12       
anos | Mai 2006 | Mensagens: 3517 | São Paulo - SP
     

Bom, esta questão de liberação da posse de armas não cabe aqui, no meu ver! O buraco é mais embaixo.
Para quem foi aluno de escola pública na década de 90, sabe que as escolas tiveram acessos livres para qualquer um, inclusive pra bandidinhos. Eu sempre via pessoas de fora pulando muros, entrando e saindo a bel prazer. Ou seja, as escolas mais afastadas "abriram" as portas para que noias tivessem acesso. Não existem nenhum controle sobre quem entra e sai, além de outros fatores, como bares nos arredores de escola, fazendo com que estes adolescentes tenham acesso a bebidas, falta de rondas por parte de policias, que faz com que traficantes agem nos arredores de escola, etc, etc. Então não é apenas questão de liberar ou não posse de armas pra professores. A questão é complexa. Ponto.


Responder com Citação   

Ricardo, 14/3/19, 0:27       Administração
anos | Ago 2003 | Mensagens: 7128 | Pontes e Lacerda - MT
     

O Sakamoto publicou um texto que levanta algumas questões interessantes sobre o caso. É preciso o debate, sério e responsável. Armar ou desarmar não fará resultado se a defesa do "olho por olho" seguir. Violência não se acaba com violência. Da mesma forma que liberar as armas não vão acabar (este, aliás, é o assunto mais raso do debate neste momento. Há questões bem mais latentes que precisam ser discutidas).


Citação
Massacre de Suzano ocorre em meio a um crescente culto às armas no país...

Fonte: https://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2019/03/13/massacre-de-su zano-ocorre-em-meio-a-um-crescente-culto-as-armas-no-pais/

Independentemente da motivação que tenha levado ao Massacre de Suzano, ele acontece em meio a um crescente culto às armas de fogo e à violência como forma de resolução de conflitos no país. Cinco estudantes e dois funcionários da Escola Estadual Professor Raul Brasil, além de um comerciante, foram mortos por dois ex-alunos, de 17 e 25 anos, nesta quarta (13) nesse município da Grande São Paulo. Depois, eles se mataram.

Violência que leva não apenas ao uso da força bruta para a resolução de tensões e traumas, mas também à eliminação do outro. Nesse contexto, a participação em determinados fóruns de discussão misóginos – que cultuam tiroteios chacinas e massacres ou pregam o extermínio de mulheres diante de sua própria incapacidade de conseguir estabelecer relações afetivas – ajuda a descolar ainda mais jovens da realidade.

Não à toa foi encontrada uma besta, usada para disparo de flechas, junto a um dos assassinos. Ela é figura presente em jogos de videogames, filmes, livros e graphic novels que trazem ambientes de guerra, universos medievais e mágicos, de mundos pós-apocalípticos com zumbis, violência urbana. Um dos feridos levou um golpe de machadinha, outra arma sempre presente nessas histórias, no peito.

Seja qual for a razão da fantasia de vingança desses jovens, contra a sociedade, as instituições, a escola, as mulheres ou algo mais que também não faça sentido, precisamos atuar coletivamente para reduzir a cultura de violência. Massacres como esse não começaram no atual governo federal, basta ver a lista de tragédias semelhantes que ocorrem por aqui.

Mas as ações da atual administração no sentido de ampliar o acesso a armas de fogo não contribui em nada. Além do problema de termos um presidente cuja marca registrada é simular armas com as mãos e defender a letalidade policial – ou seja, um pregador do culto citado acima.

Ao invés de armar professores e colocar detectores de metal em todas as escolas – o que é impossível, tendo em vista que muitas não têm nem merenda ou papel higiênico, precisamos atuar de forma coletiva para desarmas mãos, mentes e corações no que for possível. Mas também nos lembrar que, em última instância, atos de insanidade são atos de insanidade.

A nossa sociedade, concordemos ou não, vai continuar produzindo situações como essa. Temos dificuldade de concordar com esse fato porque acreditamos que, criando regras e impondo normas, somos capazes de zerar o risco da morte – o que não é verdade. Jogamos, então, o imponderável para baixo do tapete porque, se pensarmos nele, nem levantamos da cama de manhã para ir trabalhar ou estudar com receio de morrer.

Sim, nossa sociedade gera aberrações por vários motivos e por motivo nenhum. Sim, existe a possibilidade de você cair nas mãos de um perturbado a qualquer momento. Como o caso do rapaz que tinha raiva de garotas e assassinou 12 jovens, que tinham entre 12 e 14 anos, em uma escola em Realengo, em 2011.

Para muitos desses assassinos, ter explicado que eles podiam ser presos ao cometerem tais atos simplesmente não teria feito diferença, lembrando que, não raro, se matam ao final. Ou seja, o debate sobre a redução da maioridade penal não cabe aqui. E antes de serem baleados pela eventualidade de um "professor armado", já teriam causado um estrago. Armas à disposição deixa tudo muito mais fácil. E se não fossem armas, poderiam ser explosivos. Se não fossem explosivos, gasolina. E se não fosse nada disso, usariam um carro ou um caminhão que avançaria sobre as crianças e adolescentes quando fossem para a rua ao término das aulas – como tem acontecido em várias partes do mundo.

Por isso, soa inocente ou apenas bravata a declaração do senador Major Olímpio (PSL-SP), dada após a tragédia de hoje: "se os professores estivessem armados, e se os serventes estivessem armados, essa tragédia de Suzano teria sido evitada".

Procuramos respostas para preencher a falta de sentido e tapar o buraco deixado por perdas dolorosas, como já disse aqui. O problema é que elas não são úteis para resolver nada, nem mesmo para contribuir com os processos simbólicos de luto. Mas são nos momentos de emoção extrema que nossa racionalidade é colocada à prova. Ou seja, que somos chamados a mostrar que deixamos de ser uma horda tresloucada que segue um único instinto, o medo. E não procurar soluções para problemas que dificilmente serão resolvidos.

Se não somos capazes de antever certos atos de insanidade, há coisas que conseguimos minimamente controlar. Por exemplo, evitar que o Estatuto do Desarmamento seja alterado para generalizar o porte de armas, como é defendido pelo presidente.

Não se sabe como ambos conseguiram os revólveres, mas um mercado mais restrito para armas legais significa menos delas em circulação (armas que, muitas vezes, são compradas legalmente por cidadãos ou são de uso restrito da polícia e das Forças Armadas, mas acabaram roubadas ou vendidas, caindo no mercado ilegal) e menor possibilidade de mortes. Podemos não reduzir a ocorrência de tragédias, mas – ao menos – dá para diminuir o seu tamanho.

Desde que não optemos por responder estupidez com mais estupidez.

Post atualizado às 16h39 do dia 13/03/2019 para detalhamento do número de vítimas.


Responder com Citação   

leco, 14/3/19, 8:00       
anos | Abr 2006 | Mensagens: 2080 | Curitibanos - SC
     

O Saka nesse artigo é irretocável.
Pessoalmente acho que numa sociedade que ficou complexa , não basta implantar escola militar , regras antigas de educação moral , nacionalismo exacerbado etc, isso não vai voltar aos moldes do passado , porque o comportamento social mudou pela tecnologia , pelo consumo , pelas prioridades materiais...O indivíduo vai ter que se autoconhecer para a partir daí conduzir sua família com equilíbrio, o que consequentemente muda a sociedade.
Nos tempos atuais onde as pessoas estão sendo educadas pela internet, é uma utopia.


Responder com Citação   

CRISPIM, 14/3/19, 10:46       Moderação
anos | Fev 2006 | Mensagens: 9411 | Itajaí - SC
     

Atiradores pediram 'dicas' para atacar escola em fórum de propagação de ódio

Na última quinta-feira, um dos atiradores publicou um agradecimento pelos conselhos e orientações
Por O Dia

Publicado às 18h20 de 13/03/2019 - Atualizado às 18h20 de 13/03/2019



Luiz Henrique e Guilherme Taucci eram frequentadores do Dogolachan e pediram ajuda para conseguir armas - Reprodução / Portal R7

Rio - Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro, atiradores que mataram 8 pessoas e depois se suicidaram na Escola Estadual Raul Brasil em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, usaram o Dogolachan, maior fórum de propagação de ódio na internet brasileira, para juntar dicas e fazer planos para o ataque, de acordo com o portal de notícias R7.

O fórum, que é só acessível na dark net, é conhecido como um local onde são discutidos abertamente a prática de crimes, violação de direitos humanos, propagação de racismo, homofobia e misoginia. Nesta quinta-feira, após o atentado em Suzano membros usaram os chans (fóruns) para celebrar o massacre.

Segundo a reportagem do R7, na última quinta-feira, um dos atiradores supostamente publicou um agradecimento ao administrador do fórum, conhecido como DPR. "Muito obrigado pelos conselhos e orientações, DPR. Esperamos do fundo dos nossos corações não cometer esse ato em vão."

Nesta quarta-feira, em mensagens no Dogolachan, usuários questionavam se Luiz Henrique, 25 anos, e Guilherme, 17, eram integrantes do grupo e a resposta dada por um dos administradores foi positiva.

Nas mensagens, o administrador do fórum diz Luiz era conhecido como "luhkrcher666", e Guilherme como "1guY-55chaN". Ele diz ainda que cortou o contato com Luiz por e-mail pois ele deixava muitos "rastros" digitais, que facilitariam a identificação de todos os membros, de acordo com a reportagem.

Atirador de Realengo é considerado herói no fórum

Wellington Menezes de Oliveira, autor do Massacre de Realengo, é considerado herói por membros do fórum. Em 2011, o homem de 23 anos matou 12 crianças e depois tirou a própria vida na Escola Municipal Tasso da Silveira, na Zona Oeste do Rio.

A intenção de Wellington era ferir os meninos e matar as meninas. Um ano após o massacre, a Polícia Federal descobriu que Wellington foi influenciado e incentivado por Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues Setim, então criadores da comunidade virtual Homini Sanctus, que se tornaria o Dogolachan anos depois.

O fórum era conhecido pelo ódio contra mulheres, além de ser contra qualquer outra minoria. Havia a suspeita de que Wellington fosse um incel — diminutivo da expressão "involuntary celibates", ou celibatários involuntários.

Segundo reportagem da BBC, os incels não são um grupo organizado, mas se reúnem em fóruns de discussões na internet, onde falam sobre sua solidão, sua insegurança ou sobre a frustração por não conseguirem se relacionar. Eles pregam ódio e misoginia, além de culparem as mulheres por sua falta de vida sexual nas mulheres.

Criador do Dogolachan foi o primeiro condenado no Basil por crime de racismo na internet

O Dogolachan foi criado em 2013 pelo hacker Marcelo Valle Silveira Mello. O homem é conhecido por crimes de ódio e foi a primeira pessoa condenada pela Justiça do Brasil por crime de racismo na internet, em 2009. Na ocasião, o homem se posicionou contra as cotas raciais de maneira preconceituosa e foi condenado a um ano e dois meses de prisão.

No ano passado, o fórum foi alvo de uma megaoperação da Polícia Federal para desarticular o grupo e prender os dois criadores do grupo, Emerson Eduardo Rodrigues Setim e Marcelo Valle Silveira Mello. Marcelo foi preso e condenado meses depois a 41 anos, seis meses e 20 dias de prisão por associação criminosa, divulgação de imagens de pedofilia, racismo, coação, incitação ao cometimento de crimes e terrorismo cometidos na internet. Emerson foi foragido.


FONTE: https://odia.ig.com.br/brasil/2019/03/5626373-atiradores-pediram--dica s--para-atacar-escola-em-forum-de-propagacao-de-odio.html


Responder com Citação   

STOLEDO, 14/3/19, 15:04       
anos | Dez 2010 | Mensagens: 1480 | Borda da Mata - MG
     

não sei se as pessoas querem ter armas, pelo menos a maioria ,acho que não. nosso país é muito descontrolado, essas armas vão alimentar o crime. e depois ainda temos nossas diferenças sociais graves, temos a família brasileira em crise também, temos a loucura de cada um e até influência de jogos.os americanos estão perdendo o controle nesse tipo de tragédia e o brasil não vai ser diferente. melhor não ter armas.

Responder com Citação   

Marcos R Salvi, 14/3/19, 15:17       
anos | Ago 2014 | Mensagens: 537 | Videira - SC
     

STOLEDO escreveu
não sei se as pessoas querem ter armas, pelo menos a maioria ,acho que não. nosso país é muito descontrolado, essas armas vão alimentar o crime. e depois ainda temos nossas diferenças sociais graves, temos a família brasileira em crise também, temos a loucura de cada um e até influência de jogos.os americanos estão perdendo o controle nesse tipo de tragédia e o brasil não vai ser diferente. melhor não ter armas.

É so ver o resultado do referendo em 2005.
Foram 63,94% a favor da posse de armas contra 36,06 contra a posse de armas
A população foi consultada e decidiu ja sobre esse assunto.
Resultado que foi desrespeitado pelo PT.


Responder com Citação   

Marcos R Salvi, 14/3/19, 15:21       
anos | Ago 2014 | Mensagens: 537 | Videira - SC
     

Tem uma enquete do Uol
Quando votei eram 87% a favor das armas
Quem quiser participar segue o link.

https://m.noticias.ne10.uol.com.br/interior/agreste/noticia/2019/03/14 /enquete-voce-e-a-favor-do-porte-de-armas-731960.php?utm_source=fb-ne1 0&utm_source=m.facebook.com&utm_medium=referral&utm_campaign=mobile-re direct


Responder com Citação   

Fabio DG, 14/3/19, 23:21       
anos | Dez 2016 | Mensagens: 580 | Ipanema - MG
     

Luto nacional!!!
Agora todos ficam querendo saber o motivo de tanta violência...
Será que no fundo já não sabemos???
Os pais não são mais autoridade para seus filhos;
Os professores não são mais autoridade para seus alunos;
Vivemos dias de liberdade ampla e sem restrições onde tudo é liberado e permitido;
Somente direitos, direitos, direitos, nada de deveres ou cobranças;
Hino ou bandeira é ofensivo, disciplina e hierarquia é tortura;
Baile funk é cultura, onde jovens usam drogas, fazem sexo na rua, perturbam o sossego das pessoas e o direito de ir e vir, mas se a polícia impedir é repressão;
Jogos de vídeo game onde se ganha ponto roubando ou matando velhinhos ou policiais, e achamos tudo isso legal e normal;
Lei da palmada;
Será que não sabemos mesmo o motivo dessa barbárie???
Ou vamos continuar procurando uma resposta que já está explícita?
Autor desconhecido.

Melhor texto que li ate agora, perfeito e muito direto ao que esta acontecendo nesse pais.


Responder com Citação   






Anterior  1, 2, 3, 4  Próximo




Enviar Mensagens Novas: Proibído
Responder Tópicos Proibído
Editar Mensagens: Proibído
Excluir Mensagens: Proibído
Votar em Enquetes: Proibído




VCVIP
Usuário:  
Senha:  
Lembrar 

Cadastre-se!
Agora na TV revista eletronica
A Arte da França
02:00 - 03:00
Rápida e Mortal
02:30 - 04:30
GloboNews em Pauta
01:30 - 03:00
Hellboy
01:23 - 03:20
Cova Rasa
01:35 - 03:10

 
Sinal aberto
FOX Premium 1 e 2
21/03 a 24/03
Principais operadoras
Lifetime
11/03 a 25/03
Claro e NET
Comedy Central
18/03 a 26/03
SKY Pré-pago

RGS
E shop Satelite


SIGA-NOS

Facebook   Twitter   Youtube

VCFAZ.TV NO CELULAR

Telegram

FALE CONOSCO

E-mail    Fórum Ajuda

ACESSO RÁPIDO

Na Televisão: Últimas Notícias |  Sinal Aberto |  TV Ao vivo |  FabioTV |  Guia de TV
Fóruns de Debate: Equipamentos |  Esportes |  Feeds |  NET Claro |  Oi |  Papo Aberto |  Promoções |  Satélite |  SKY |  TV |  Vivo | 
Sobre o Vcfaz: Fale Conosco |  Regras de Participação |  Ajuda |