Você está lendo um tópico
Novo Tópico Responder Mensagem 

Forum
Papo Aberto   
Governo congela seguro a exportações após Cuba e Venezuela darem calotes
As mensagens são de responsabilidade de seus autores.
Este tópico possui Mensagens respostas e Visualizações visitas.


Larry.Tate, 25/12/18, 18:33       
anos | Out 2007 | Mensagens: 3090 | São Paulo - SP
     

Medida afeta pequenas e médias empresas, que perdem capacidade de competir com outros países

Mariana Carneiro
BRASÍLIA

​​
Depois dos calotes de Moçambique, Venezuela e, agora, Cuba, o governo brasileiro congelou a concessão do seguro de crédito a novas exportações, afetando principalmente a operação de pequenas e médias empresas.

Conforme mostrou a Folha, o Tesouro desembolsará, nos próximos dias, o equivalente a US$ 6 milhões (R$ 23,4 milhões) para ressarcir o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) pelo não pagamento de Cuba.

Assim como Venezuela e Moçambique, o país deixou de pagar o financiamento do BNDES, que era segurado pelo FGE (Fundo de Garantia às Exportações) —o fundo usa recursos do Tesouro para honrar eventuais calotes.

O valor se refere a uma parcela que venceu em junho e que o país pagou parcialmente. Dos US$ 10 milhões (R$ 39 milhões) que deveria quitar no mês, Cuba pagou cerca de US$ 4 milhões (R$ 15,6 milhões).

Nos governos de Lula e Dilma, os países contrataram empreiteiras brasileiras para obras de infraestrutura.

Obras no porto de Mariel, que foi construído com financiamento do BNDES, em Havana - Liu Bin/Xinhua

Um exemplo é o Porto de Mariel, em Cuba, cuja modernização foi feita pela Odebrecht. Esses países também compraram ônibus, bens industriais e alimentos em pagamentos a prazo com o seguro de crédito à exportação.

Com o calote, a conta sobrou para o Tesouro.

Em 2019, a previsão é que o governo federal gaste quase R$ 1,5 bilhão para honrar a inadimplência desses países. Com isso, faltará dinheiro para conceder seguro a novas operações de crédito de exportações.

O Cofig (Comitê de Financiamento e Garantia às Exportações), formado por integrantes da equipe econômica e do Itamaraty, decidiu que não concederá seguro a novas operações até ter previsão orçamentária para arcar com eventuais calotes.

Com isso, exportações com horizonte de entrega em até 180 dias estão tendo o seguro de crédito negado.


Dilma Rousseff, Raúl Castro e Nicolás Maduro participam da inauguração do porto de Mariel

A partir desse prazo, a depender do valor a ser coberto, o grupo está autorizando o seguro. Na prática, porém, só exportações com entrega prevista para 2020 estão sendo atendidas.

As mais prejudicadas são pequenas empresas que tendem a firmar contratos de mais curto prazo e que têm menos margem para negociar postergações.

“A dinâmica da previsão orçamentária historicamente não contempla orçamento para novas operações de seguro”, informou a Fazenda.

Porém, diante dos calotes recentes, a equipe econômica preferiu adotar a cautela.

“Quando o orçamento disponível para o exercício é inferior à previsão de desembolsos para o período, por questões prudenciais, novas operações não são aprovadas”.

As negativas foram formalizadas na reunião do Cofig, em novembro, e aumentam a pressão pela revisão das regras para a concessão de crédito e de seguro às exportações.

A interrupção é negativa para as empresas, pois o Brasil perde capacidade de competir com outros países que oferecem o financiamento para a compra de seus produtos.

O seguro de crédito à exportação é adotado em muitos países, mas acabou sendo alvo de críticas por aqui após o calote de países que, no governo do PT, eram aliados políticos e econômicos do Brasil no exterior.

Desde o primeiro default, de Moçambique, no ano passado, a equipe econômica trabalha no redesenho de uma nova arquitetura para o seguro de crédito à exportação, tema que já foi levado ao time do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes —que chefiará a nova pasta no governo de Jair Bolsonaro.

Também já foi discutido na Camex, conselho interministerial coordenado pela Casa Civil.

O redesenho financeiro prevê que um outro fundo, o FGCE (Fundo Garantidor de Operações de Comércio Exterior), assuma as novas operações.

Ao contratar o seguro, a empresa exportadora paga um prêmio que hoje é embolsado pelo Tesouro. A ideia é apartar esses pagamentos, que serviriam para pagar eventuais calotes no futuro.

O responsável pelo fundo seria a ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias), empresa estatal que já faz a avaliação de risco para a concessão desses seguros. Caso o fundo não tenha recursos suficientes, a ABGF arcaria com capital próprio.

O Ministério da Fazenda estuda ainda criar uma segunda camada de proteção, com uma linha de crédito especial do Banco Mundial, que só seria acionada em caso de calote. Só depois dessas duas frentes o ressarcimento recairia sobre o Tesouro.

O objetivo é evitar que recursos orçamentários sejam usados para bancar o calote nessas operações no futuro.

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/12/governo-congela-seguro-a -exportacoes-apos-cuba-e-venezuela-darem-calotes.shtml




Editado pela última vez por Larry.Tate em 25/12/18, 18:37. Editado 1 vez.
Responder com Citação   




Larry.Tate, 25/12/18, 18:34       
anos | Out 2007 | Mensagens: 3090 | São Paulo - SP
     

Só para deixar claro.
Tesouro = Nós, o povo brasileiro.


Responder com Citação   

CRISPIM, 26/12/18, 7:33       Moderação
anos | Fev 2006 | Mensagens: 9422 | Itajaí - SC
     

Esta dívida e pagamento parcial de Cuba deve ter alguma cláusula que está atrelado ao Dólar, em segredo até 2027.

Breve saberemos, ao abrir a caixa preta do BNDES, sobre os empréstimos as Ditaduras Socialistas.


Abs.


Responder com Citação   

waltersandes, 26/12/18, 10:12       
anos | Fev 2006 | Mensagens: 2212 | São Paulo - SP
     

CRISPIM escreveu
Esta dívida e pagamento parcial de Cuba deve ter alguma cláusula que está atrelado ao Dólar, em segredo até 2027.

Breve saberemos, ao abrir a caixa preta do BNDES, sobre os empréstimos as Ditaduras Socialistas.


Abs.


Este é o resultado do APOIO dado por governantes de Esquerda, como Lula e Dilma do PT.
Governos ligados ao esquerdismo socialista comunista que só querem ROUBAR e desviar o dinheiro do povo brasileiro, em favor de países socialistas (se é que se pode chamar isto de países que não passam de verdadeiros Buracos de jogar Merda).

Se o Presidente eleito Jair Bolsonaro for duro com estes ladrões do dinheiro do povo, essa mamata vai acabar. Já expulsaram daqui os financiadores dos sanguinários ditadores e bandidos de Cuba, (Mais Médicos Cubanos), e agora usam o NOSSO dinheiro para construir Porto em Cuba, e obras na Venezuela e Moçambique, estes paisecos de Merda, e que não trazem benefícios nenhum para o povo brasileiro e nem para o povos destes paisecos corruptos de Esquerda.

Se o Presidente eleito do Brasil quiser entrar para a história, mandaria o Exército prender estes tais "líderes" de Esquerda destes paisecos, na primeira oportunidade em que eles pisassem aqui no Brasil. Seriam julgados como carrascos sanguinários e traidores da humanidade. Deixem eles apodrecerem na cadeia. Bando de ladrões do dinheiro público.

Abs,
Walter - thumbright


Responder com Citação   

ardoss, 27/12/18, 6:46       
anos | Abr 2006 | Mensagens: 1462 | Craíbas - AL
     

Este é o resultado da política de enfrentamento às nações vizinhas do atual governo. O Brasil está se isolando. Toda política de aproximação que o Lula fez durante metade do seu primeiro mandato está sendo deteriorada pelo futuro presidente que nem posse tomou ainda. Os pequenos empresários serão os primeiros a sentirem esse impacto. Depois que implantarem essa má política de abrir as reservas biológicas à exploração e o sucateamento da proteção ao meio ambiente, os países que muito "subsidiaram nossa economia", logo se afastarão. Não sou eu quem fala isso, são especialistas da área das relações diplomáticas. Vem coisa pior por aí. Haja saliva para inventar desculpa.

Responder com Citação   

leco, 27/12/18, 10:31       
anos | Abr 2006 | Mensagens: 2105 | Curitibanos - SC
     

Esse tipo de notícia é para alienar ainda mais os que são conduzidos pela informação seletiva.
Se pesquisassem saberiam que a partir de 2003 o Brasil ampliou se leque de negócios com o mundo todo , coisa que ajudou a alavancar a economia . A própria Veja divulgou que Lula e o Ministro Furlan do Comércio Exterior se comportaram como caixeiros viajantes vendendo os produtos brasileiros.
O Mercosul foi fortalecido entramos no grupo seleto do BRICS...


Responder com Citação   

waltersandes, 27/12/18, 12:37       
anos | Fev 2006 | Mensagens: 2212 | São Paulo - SP
     

ardoss escreveu
Este é o resultado da política de enfrentamento às nações vizinhas do atual governo. O Brasil está se isolando. Toda política de aproximação que o Lula fez durante metade do seu primeiro mandato está sendo deteriorada pelo futuro presidente que nem posse tomou ainda. Vem coisa pior por aí.


Quem disse que o Brasil está se isolando??? Quem foi que disse esta asneira???
O Presidente eleito está no caminho certo. Se afastar de "Ditaduras" (não de governos) de Esquerda.
Cuba, Venezuela, Bolívia e qualquer outro país que se ache numa ditadura de esquerda, o Brasil deve se afastar deles.

Falar bem de Lula nesta altura do campeonato é querer passar vergonha.
O fim do Lula é um só. Terminar os seus dias atrás das grades.
E o novo Presidente tentar consertar todas as mazelas causadas por estes maus governantes de Esquerda, que só trouxeram mais miséria e mais pobreza para o nosso povo.

O Brasil precisa se aproximar de país sério, de país que seja livre, democrático, com boas relações comerciais com o Brasil e não com estes "Buracos de jogar Merda", que são Cuba, Venezuela, Bolívia, Moçambique, etc... Kkkkkkkkkkkkkkk!!!!

Abs,
Walter - thumbright


Responder com Citação   

Paulo.es, 27/12/18, 16:52       
anos | Dez 2006 | Mensagens: 2276 | Vitória - ES
     

E isso é só o começo.
As perdas com o enfrentamento ao Oriente Médio serão catastróficas a muitas empresas.
Muitas demissões à vista.

Pelo jeito ele está esperando as bonanças dos EUA, onde a maior preocupação atual do presidente é construir um muro pra se separar do que eles costumam chamar de cucarachas.


Responder com Citação   










Enviar Mensagens Novas: Proibído
Responder Tópicos Proibído
Editar Mensagens: Proibído
Excluir Mensagens: Proibído
Votar em Enquetes: Proibído




VCVIP
Usuário:  
Senha:  
Lembrar 

Cadastre-se!
Agora na TV revista eletronica
Two and a Half Men
09:40 - 10:04
Chicago P.D.
09:30 - 10:25
Do Velho Ao Novo
09:24 - 10:15
Mestres da Sobrevivê..
09:40 - 10:30
Rolling Stone: Stori..
09:05 - 11:05

 
Sinal aberto
Comedy Central
18/03 a 26/03
SKY Pré-pago
TNT Series
22/03 a 31/03
Vivo

RGS
E shop Satelite

SIGA-NOS

Facebook   Twitter   Youtube

VCFAZ.TV NO CELULAR

Telegram

FALE CONOSCO

E-mail    Fórum Ajuda

ACESSO RÁPIDO

Na Televisão: Últimas Notícias |  Sinal Aberto |  TV Ao vivo |  FabioTV |  Guia de TV
Fóruns de Debate: Equipamentos |  Esportes |  Feeds |  NET Claro |  Oi |  Papo Aberto |  Promoções |  Satélite |  SKY |  TV |  Vivo | 
Sobre o Vcfaz: Fale Conosco |  Regras de Participação |  Ajuda |