A Rede Record enviou comunicado na última segunda-feira em resposta à publicação realizada pelo "O Estado de São Paulo". Na reportagem publicada, o veículo de comunicação acusa a emissora paulista de financiar a passagem aérea de retorno da brasileira acusada de comandar uma rede de prostituição, Andréia Schwartz.

Andréia estava presa nos Estados Unidos e foi deportada depois de cumprir pena por prostituição e ligação com drogas. No comunicado enviado, a Record esclarece que não foi responsável pelo pagamento da passagem aérea de retorno da brasileira.

"Nenhum representante, acionistas ou diretores, fez qualquer proposta de pagamento das despesas. Apenas fomos consultados pelo jornalista Dival Ramiro, do Daily News, se haveria interesse em patrocinar as despesas de retorno da brasileira. A resposta da RECORD foi negativa". Informou a emissora.

A Record informa ainda que o Jornalismo Record e a Central de Comunicação não foram procurados oficialmente pelo veículo de comunicação para manifestar a posição da emissora sobre o assunto.