Os computadores, comprovadamente, são os artefatos tecnológicos com maior presença nas vidas de ocidentais e orientais. Eles estão em cada café, na maioria das casas e cada vez mais em celulares e já se tornaram tão necessários quanto o telefone e a luz elétrica.

Sabe-se que a revolução digital começou com a invenção do transistor em 1947, seguiu com a criação do circuito integrado no final dos anos 50 e se estabeleceu com o advento do microprocessador em 1970. No entanto, estudos mostram que a centelha para a tecnologia que se vê hoje, data de 100 anos antes de Cristo. Para investigar o assunto, o HISTORY estreia o documentário O Primeiro Computador do Mundo, no dia 30/7, segunda-feira, às 23h.

Em um programa especial de uma hora, o canal apresenta o mecanismo, conhecido como Antikythera, considerado por especialistas como a engenhoca mecânica mais antiga de mundo. Descoberto nos restos de um naufrágio perto da ilha grega de Anticitera, entre Citera e Creta, teria sido desenhado para calcular a posição do sol, da lua e de alguns planetas.


Foto: Divulgação/History Channel

Para compreendê-lo melhor, estudos foram iniciados pelo físico Derek J. de Solla Price, em 1958, o primeiro a notar que as inscrições no mostrador correspondiam aos dias, meses e signos do Zodíaco e que as duas engrenagens – sobre as voltas do Sol e o movimento lunar – permitiam prever fenômenos astronômicos como eclipses. Posteriormente, em 1971, Price ainda submeteu o aparelho a um estudo com raios gama a fim de comprovar que ele era um calculador astronômico complexo.


Foto: Divulgação/History Channel

Novas pesquisas sobre o Antikythera foram realizadas em 2005, utilizando um sistema inovador de reprodução de imagens, o que possibilitou entender os textos quase apagados do mecanismo, cuja leitura era praticamente impossível. A partir daí, o conhecimento sobre o aparelho foi apurado e concluiu-se que ele também usava como referência os ciclos de quatro anos dos Jogos Olímpicos e pan-helênicos.