Policiais que levam uma rotina normal como oficiais do departamento de Chicago, mas que durante a noite aplicam seu conhecimento sobre perícia forense no estudo de casos paranormais. Esse é o mote da série Detetives Paranormais, que o BIO apresenta no dia 31 de agosto, sexta-feira, a partir das 22h.

Com o intuito de resolver casos inexplicáveis, esses policiais aplicam o que aprendem em suas investigações diárias na difícil tarefa de desvendar mistérios paranormais, partindo para uma espécie de caça ao fantasma e descobrindo um submundo de histórias sórdidas da cidade de Chicago, as quais acabam auxiliando na resolução dos casos e aplacando a angústia dos vitimados.

No primeiro episódio, O Fantasma de Megan, às 22h, o grupo de detetives é acionado por uma senhora preocupada com uma estranha força que assola sua residência e não a deixa dormir. Após a investigação, descobre-se que há uma conexão entre a mãe da senhora e uma jovem falecida, que era sua amiga.

Em seguida, às 22h30min, o episódio O Fantasma da Casa de Madri apresenta o caso da loja Big Timer’s Sound Shop. Tudo começa quando o gerente do local chama os detetives para investigar frequentes aparições e ruídos que podem ser ouvidos de dentro do depósito. Por fim, descobre-se que o estabelecimento era um lugar de apostas e encontros de criminosos, onde foram cometidos inúmeros assassinatos.

Para fechar a programação do dia 31, às 23h30min, os detetives paranormais investigam fatos inexplicáveis de uma delegacia. Quem percebe os estranhos acontecimentos no episódio Mensagens do Além é um jovem policial. Com o auxílio dos detetives, eles chegam á conclusão de que o local está repleto de espíritos, que precisam de ajuda.

No dia 7/9, sexta-feira, às 22h30min, a reforma de um restaurante tem de ser paralisada devido a acontecimentos misteriosos e intrigantes no episódio Agitando os Mortos. Contratados para solucionar o caso, os detetives entram no local a fim de rastrear vozes e vestígios que ressoam durante a noite.

Na sequência, às 23h, o episódio A Vingança de Miriam apresenta o caso de um colégio para mulheres fechado devido a assustadores assassinatos e desaparecimentos no local. Os policiais paranormais entram em ação e verificam que há registros de que ali houve um suicídio, mas conforme aprofundam a investigação descobrem que, na verdade, o que ocorreu foi um assassinato cujo autor permanece à solta e à procura de novas vítimas.

No último episódio da série, Alguém no Corredor, às 23h30min, a equipe de detetives irá enfrentar um caso intrigante, do qual nem mesmo os bombeiros de Frankfort escapam. Para desvendá-lo, entra em ação Moriah, a médium da equipe, que fará contato com dois espíritos presos ao plano terreno em razão de um velho amor.

Os detetives paranormais

Ron Fabiani

Desde 1987, Ron faz parte da polícia da cidade de Chicago e suas maiores habilidades estão ligadas a treinamento, provas, gangues e investigações de homicídios. Desde 1986, ele ocupa o cargo de sargento. Durante sua carreira, passou por inúmeros lugares notoriamente assombradas da cidade, o que o levou a buscar explicações para o paranormal. Depois de descobrir policias também intrigados com a mesma situação, ele decidiu então formar um grupo de detetives paranormais dentro do Departamento de Polícia de Chicago.

Tom Froelich

Desde 1999, Tom ocupa o cargo de oficial tático no patrulhamento da cidade. Atualmente, é também investigador criminal, porém de casos que desafiam a lógica. Intrigado com esses estranhos fenômenos que assolam Chicago, o investigador fundou com o grupo de detetives paranormais junto com Ron Fabiani. Tom já investigou casos desse tipo no exterior e em outras cidades dos Estados Unidos.

Austin Weinstock

A frente das patrulhas uniformizada e tática e da educação continuada para crianças, entre outras atribuições especiais no combate aos crimes de quadrilha e narcóticos, Austin se dedica à resolução de casos paranormais, desde 2000, quando passou por uma experiência fora do comum. Ele acredita que o grupo irá trazer profissionalismo e credibilidade para o campo.

Pete Schlelich

Antes de entrar para a polícia, Pete foi um consultor de informática, o que o ajudou a aperfeiçoar seus conhecimentos técnicos. Em 2003, entrou para polícia e passou a trabalhar dentro da divisão de patrulha. Especialista em técnicas forenses, Pete se interessou pelo mundo paranormal e imediatamente passou a fazer parte do grupo de Ron e Tom.

Brian Jones

Um dos fundadores da equipe de detetives paranormais, Tom Froelich, recrutou Brian para o grupo, em 2007. Sua função é a de assistente de investigação e é considerado o olho e o ouvido da equipe inteira por ser o responsável pelo meio de comunicação móvel do grupo.

Scot Ziarko

Por 14 anos, Scot exerceu a profissão de cinegrafista profissional e editor. Durante uma experiência paranormal com uma criança, o então cinegrafista passou a ter interesse pelo assunto e hoje ocupa o lugar de assistente de investigação dentro do grupo de Tom e Ron.

Moriah Rhame

Nascida em Wisconsin, próximo a Chicago, Moriah é a única mulher da equipe de policiais. O papel dela no grupo é auxiliar na introspecção em atividade paranormal dos casos. Além disso, é uma veterana de combate no deserto da fronteira do Kuwait, na Arábia Saudita, onde trabalhou por um período. É autora do livro How to Be a Happy Medium e está trabalhando em mais uma publicação destinada ao público infantil.