O Estado de São Paulo conta com 500 defensores públicos que atuam para assegurar aos cidadãos, que recebem até três salários mínimos, acesso à defesa e a garantia do seus direitos. Nesta terça-feira, dia 21, o ‘Profissão Repórter’ acompanha a rotina da Defensoria Pública na capital do estado e mostra os casos mais atendidos, a rotina dos defensores e histórias de pessoas que buscam o serviço. O programa é exibido pela Rede Globo (confira o horário para sua região acessando www.vcfaz.net/guia).

Caco Barcellos segue para a maior defensoria de São Paulo, localizada no bairro da Liberdade, e apresenta um panorama do trabalho realizado pelos 54 profissionais que atendem por dia, em média, 400 pessoas. A maior parte dos casos são questões domésticas, processo de divórcio e pensão alimentícia.

A reportagem mostra ainda histórias de quem busca a ajuda da Defensoria. A repórter Thaís Itaqui acompanha a primeira consulta de Debora Matos. Separada há dois anos, Debora buscou o serviço para colocar a filha de 12 anos em contato com o pai, que desde a separação nunca mais visitou a menina. A primeira audiência entre os pais termina em briga e sem acordo.

Em outro caso, Thaís mostra o percurso de Simone Palauskas em busca da identidade sua mãe biológica. Há três anos, com a morte de sua mãe adotiva, Simone resolveu ir atrás da suas origens apenas com um prontuário médico nas mãos. A reportagem acompanha seu primeiro contato com a Justiça, mostra a casa onde viveu e segue até a Santa Casa para conseguir informações.

Ainda no programa, Victor Ferreira mostra a rotina dos defensores e conta a história do Bruno, que trabalha nesse setor há cinco anos. O ‘Profissão Repórter’ vai ao ar logo após ‘Gabriela’.