Entender claramente o contexto de crimes que estiveram na boca da mídia, nos últimos anos, e acompanhar as técnicas que foram utilizadas para resolver os casos são o enfoque da série Fúria Assassina, grande estreia do BIO em setembro. Outros elementos que dão emoção e criam suspense em volta da narrativa dos crimes são os depoimentos de familiares das vítimas e os pontos de vista divergentes dos advogados e da polícia de cada caso.

O episódio de estreia, que vai ao ar no dia 1º de setembro, sábado, às 21h, apresenta um crime de 1986 e envolve a adolescente de 13 anos Cindy Zarzicky, desaparecida após uma inocente saída para comprar sorvete. Inicialmente considerada como fugitiva, depois de grande repercussão ninguém mais comentou o assunto, até que, após nove anos de silêncio, um detetive e uma assistente retomaram o caso e o revisaram. A conclusão foi de que o principal suspeito era o pai do namorado de Cindy. Com novas provas contundentes, os detetives conseguiram, 22 anos após o desaparecimento, condenar o suspeito a prisão perpétua.