Entre os dias 16 e 22 de setembro, os melhores surfistas do ASP World Tour estarão de volta ao sul da Califórnia para a 6ª etapa do WCT de surf, o Hurley Pro, em Trestles.

O fã do esporte acompanhará a cobertura exclusiva e em alta definição dos canais ESPN a partir das quartas de final e, desde o início, no site www.ESPN.com.br/EXPN. A narração ficará no comando de Vivian Mesquita e Everaldo Marques, com comentários de Renan Rocha e Edinho Leite. A ESPN detém a exclusividade dos direitos de exibição ao vivo do WTC.

Em Trestles, normalmente é o momento da competição em que se constata o nível de surf estabelecido pelos atletas em ondas que a maioria dos mortais poderia se arriscar a pegar. Há possibilidade de todos os tipos de manobras, de tubinhos a aéreos mirabolantes passando por rasgadas e rabetadas. Snapper, na Austrália ou Barra da Tijuca, no Brasil, também são etapas cheias de manobras, mas nenhuma onda parece tanto com uma “pista de skate” quanto Trestles, para ser mais exato, a área de Lowers, onde a ação acontece.

Os brasileiros na disputa têm o DNA perfeito para se dar bem nessas ondas. Em 2010, Mineirinho chegou até as quartas quando perdeu para o também brasileiro Heitor Alves, batido pelo supercampeão Kelly Slater na semifinal. Miguel Pupo venceu o WQS Prime ali, em 2011. Gabriel Medina repetiu a dose esse ano.

A etapa marca a metade da competição, e dois wildcards vão se juntar a turma liderada por Mick Fanning, primeiro do ranking no momento. O melhor brasileiro na competição é Adriano de Souza, o Mineirinho, em 6º lugar no ranking.

O australiano Mick Fanning ao vencer a última etapa, no Tahiti, solidificou seu caminho rumo ao tri, coisa inédita para a Austrália desde a implantação da ASP.

Os australianos Joel Parkinson, segundo colocado no ranking, e Taj Burrow, na quinta colocação, seguem na disputa com chances de obter seu primeiro título mundial.

A novidade nesse time que briga pelo título 2012 é o francês Jeremy Flores, terceiro colocado no ranking. Kelly Slater está na quarta colocação e, acredite, ainda é favorito ao título.

Adriano de Souza continua com chances e deve dar trabalho em Trestles, assim como Medina e Miguel, além do resto do time que sabe lidar muito bem com essas ondas.