O cenário é a Finlândia moderna. O assunto é o conflito entre atender aos interesses de uma empresa ou seguir os próprios princípios. Esses são os elementos principais de Celular Mortal, série finlandesa em três episódios que o Eurochannel estreia no dia 12 de setembro, quarta-feira, das 20h às 23h.

Parte da programação do mês dedicada à Finlândia, Celular Mortal aborda o dilema de uma jovem jornalista sobre permanecer fiel à sua companhia e fazer o trabalho que lhe é proposto – divulgar os novos celulares da Makela Mobile, uma das maiores fabricantes desses aparelhos no mundo – ou permanecer fiel àquilo em que acredita, quando descobre uma pesquisa que revela que tais aparelhos podem provocar câncer cerebral.

Pode parecer uma escolha simples, mas a protagonista Satu tem de pesar bem os dois lados da questão, uma vez que já abandonou seu emprego mal remunerado em um jornal local, o Sanomat, atraída por um estilo de vida chamativo como assessora de imprensa, com um carro novo e um apartamento luxuoso. As coisas se complicam ainda mais quando um ex-colega de Sanomat some após descobrir o relatório fatal.

A ideia da série é do premiado diretor finlandês Anders Engström e se baseia em uma história escrita por Tomas Borgström, um dos escritores escandinavos de suspense mais renomados em seu país. Celular Mortal é thriller corporativo, que alguns podem ver como obra de ficção científica.