Nesta sexta-feira, dia 19 de outubro, logo após o último capítulo de ‘Avenida Brasil’, o ‘Globo Repórter’ desvenda o sucesso do trama – que durante meses foi o principal assunto das rodas sociais ­– e traz para o telespectador a história de personagens da vida real, que assim como Nina, a mocinha da trama interpretada por Débora Falabella, foram atrás de justiça. A reportagem, conduzida por Isabela Assumpção, mostra que a busca pela justiça é uma obsessão brasileira tanto na ficção quanto na realidade.


Foto: A repórter Isabela Assumpção e equipe do ‘Globo Repórter’ em visita ao lixão cenográfico da novela ‘Avenida Brasil’. Divulgação/TV Globo

Até onde as pessoas vão para alcançá-la? Que preço elas estão dispostas a pagar? Quem são essas pessoas que querem dar o troco a quem lhes causou sofrimento, raiva e dor. Na Avenida Brasil, endereço real do subúrbio do Rio de Janeiro, o programa encontra uma bela e inspiradora história de superação: o filho do maestro Armando Prazeres homenageia a memória do pai – que foi sequestrado e assassinado por bandidos – formando uma orquestra para ajudar crianças carentes da favela da Maré. “Jamais posso deixar que as pessoas esqueçam quem foi Armando Prazeres. Ele passou a vida inteira levando cultura para essa gente. Isso é o que eu tenho que perpetuar. Eu estou dando o troco em outra moeda, é uma vingança do bem!”, desabafa o filho do maestro.

O telespectador também conhece a história de Zezé, que precisou se recuperar de uma separação traumática, marcada por humilhações constantes do ex-marido. Frequentadora do baile charme do viaduto de Madureira – atração que também esteve presente na história de João Emanuel – ela recuperou a auto-estima, emagreceu, cuidou do visual e se tornou uma nova mulher. “Só de ele ver que estou agora bonita, me virando sozinha, curtindo meus filhos e as coisas que gosto já é uma grande vitória para mim!”, conta.

Mas e quando a sede por justiça traz problemas? Especialistas afirmam que sentimentos como a raiva e a indignação podem afetar até a saúde. Qual é o melhor remédio para aqueles que ficam doentes de raiva?

O programa aproveita ainda para fazer uma visita aos bastidores da novela. A repórter Isabela Assumpção vai aos estúdios e cidades cenográficas para acompanhar a gravação das últimas cenas. Lá conversa com o autor João Emanuel Carneiro, com a diretora Amora Mautner e com os protagonistas sobre o sucesso da trama que seduziu e envolveu os brasileiros nos últimos oito meses e transformou o Divino em um bairro muito popular. Isabela e a equipe do ‘Globo Repórter’ visitaram o tão falado lixão cenográfico, na Central Globo de Produção, no Rio de Janeiro, e se surpreende com o que encontrou. “É mesmo tudo muito limpo! Sem nada estragado, sem cheiro, sem uma mosca. É impressionante!”, descreve a repórter.

Nesta edição, o público entende também os curiosos dados que mostram o que acontece com o consumo de energia elétrica em dias de últimos capítulos de novela. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), logo que o último capítulo das novelas acaba – e todos os telespectadores voltam aos seus afazeres normais, como passar roupa, tomar banho, etc. – há um grande risco de apagão devido ao pico de consumo de energia e a companhia prepara uma grande operação para evitar que todos fiquem sem luz em casa.