Uma família alemã que limpava o sótão descobre os originais de uma das construções mais macabras da história – Auschwitz. Os diagramas, nunca vistos antes na televisão, ilustram em detalhes os planos e os métodos por trás da loucura do Holocausto.

Embora tenha se tornado símbolo de uma das maiores tragédias da humanidade – quando milhões de judeus, além de comunistas, ciganos, homossexuais e eslavos, foram levados e mortos em campos de concentração – o especial de duas horas Holocausto: Execução do Mal, estreia do HISTORY no dia 21 de outubro, domingo, às 22h, mostra que o ocorrido na primeira metade do século XX foi também uma elaborada máquina, obra de mentes humanas privilegiadas, que usaram sua inteligência para o mal. O documentário discorre como os métodos nazistas sempre bem calculados criaram um dos regimes mais monstruosos da história.

Com objetivo de descobrir qual foi a logística que fez a máquina do Holocausto ser tão bem-sucedida, o especial apresenta arquivos da Europa Oriental, do Museu do Holocausto em Washington e dos laboratórios de restauração do museu Yad Vashem em Israel, para contar as histórias de perseguição, roubo e morte. Também ouve os sobreviventes e as testemunhas dos horrores da Segunda Guerra Mundial.

Sobre o holocausto

Durante o século XIX, o termo holocausto foi utilizado para designar todo tipo de massacre e genocídio, porém, desde a Segunda Guerra Mundial que a palavra passou a indicar especificamente o extermínio de pessoas pertencentes a minorias, vistas como seres inferiores pelo regime nazista de Adolf Hitler. Assim, seguindo uma ideologia eugenista – criada por Francis Galton em 1893 para definir a busca pela “pureza racial” -, os soldados alemães mandaram milhões de judeus para os campos de concentração onde, após realizar trabalhos forçados, eram assassinados. Embora eles tenham sido a minoria, ciganos, deficientes motores, eslavos, comunistas, membros da elite intelectual polaca e russa, entre outros, também foram caçados implacavelmente.

Diferentemente de outros genocídios, o Holocausto utilizou uma metodologia específica para documentar os diferentes grupos que seriam exterminados, além de confiscar suas propriedades. Os nazis ainda se preocuparam em encontrar meios cada vez mais eficientes para os assassinatos coletivos.