Um novo programa sobre adolescentes, que tem entre seus criadores o diretor Cao Hamburger, estreia na TV Cultura neste domingo, dia 11 de novembro, às 14h30. "Pedro e Bianca" leva em consideração toda a complexidade dessa fase e aborda com diversão e seriedade os diversos aspectos da juventude, especialmente aquela que estuda numa escola pública.

A série narra as aventuras de Pedro e Bianca, que moram e estudam na escola do bairro, como a maioria dos jovens que vivem em São Paulo. Mas eles têm uma particularidade no mínimo incomum. São irmãos e nasceram no mesmo dia, portanto são gêmeos. Mas, apesar de terem dividido a mesma barriga por nove meses, terem nascidos com uma diferença de alguns minutos, serem filhos do mesmo pai e da mesma mãe, eles não são muito parecidos entre si. Pedro e Bianca têm uma diferença rara: além dos traços, dos cabelos, do sexo e da cor dos olhos, eles têm a cor da pele diferente. Pedro é branco e Bianca é negra. Geneticamente falando, a chance é de um em um milhão. E aconteceu…

Mas isso não faz de Pedro e Bianca tão diferentes assim. São irmãos como outros quaisquer. Brincam, se amam, se odeiam, se irritam, quase se matam. Mas, no fim, não negam seu apoio um ao outro, apoio incondicional. Bem, a não ser por uma característica que não se sabe muito bem de onde veio, mas que talvez, no fundo, todo irmão tenha. Pedro e Bianca talvez só tenham desenvolvido mais esse elo. É uma espécie de sexto sentido, muito comum entre gêmeos. Às vezes, o que acontece com Pedro reverbera em Bianca e vice-versa. Na escola cada um faz a sua turma. Estudam em classes diferentes e gostam mais de frequentá-la pelo contato social do que exatamente pelos estudos. Ainda assim, são cativados por muitos dos assuntos abordados em aula, que mudam seus olhares sobre as coisas da vida.


Protagonistas da nova série da TV Cultura: "Pedro e Bianca"
Divulgação/Cultura

"Pedro e Bianca" aborda grandes temas próprios do universo e do comportamento do jovem como trabalho, puberdade, sexo, drogas, cigarro, bebida, namoro, separação, ciúmes, paquera, novas amizades, desafetos e desentendimento, dificuldade de aprender, dificuldades em casa, gravidez, esporte, música, ídolos, consumo, dinheiro, status e bullying. A série é gravada numa escola de verdade, próxima ao Instituto Butantan, mesmo local em que, nos anos 1930 e por quase três décadas, funcionou o Grupo Escolar Rural de Butantã. É na E. E. Alberto Torres que os irmãos cursam o 1º ano do Ensino Médio e vivem suas principais experiências.

O programa, um projeto Escola 2.0, produzido pela TV Cultura em parceria com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo por meio da Fundação para o Desenvolvimento da Educação, trata de situações universais com as quais todos podem se identificar, pois são dilemas e obstáculos típicos da adolescência. A atração vai abordar diversos temas ao longo dos episódios, que têm 30 minutos de duração cada. Há temáticas que se referem ao dia a dia da própria escola, como, por exemplo, Relação do aluno com a escola; Primeiro dia de aula; Volta das Férias; Primeiros amigos e contatos; Relação com o professor; e Dificuldade no aprendizado.

"Pedro e Bianca" também se passa na casa em que os protagonistas moram com os pais – Zuzu e Edison, interpretados por Gorete Milagres e Thogun Teixeira – e em diversos outros lugares da cidade de São Paulo. O projeto cuja produção ficou a cargo da produtora Coração da Selva, conta com 150 atores no elenco e mais de 2 mil figurantes.

A série tem 46 episódios de 30 minutos cada e cinco programas de auditório em que são discutidas a fundo as questões levantadas pela atração, além de um making of. "Pedro e Bianca" estreia neste domingo, dia 11 de novembro, às 14h30 na TV Cultura.