Apresentado por Antônio Abujamra, o Provocações recebe nesta terça-feira, dia 6 de novembro, a atriz Lucélia Santos. O programa vai ao ar a partir das 23h, na TV Cultura.

Nascida em São Bernardo (São Paulo) e filha de operários, a vida preparou um destino provocativo para essa mulher. Em plena Revolução Cultural de Mao Tse Tung, na China, ela conseguiu invadir o país com sua personagem, a Escrava Isaura. “É um mistério absoluto, uma coisa inacreditável. Eu que vivi tudo isso, é tão interessante, é tão forte, que eu não acredito que isso tudo aconteceu, é como se fosse num plano de sonho, num plano irreal”, comenta.

A artista acredita que a questão do anseio por liberdade foi o fator que fez a novela ser um sucesso tão grande num país que até então estava culturalmente fechado para o mundo: “[A Escrava Isaura] é sobre a liberdade. Era o anseio inconsciente do povo chinês quando a novela bateu lá, assim como em toda a Europa do Leste e assim como no mundo inteiro. Apesar de ser um romance ingênuo, fala do amor, da libertação e do direito à própria vida”, argumenta

Lucélia, que atua desde os 14 anos, revela que a novela lhe rendeu uma parceria com a China, da qual saíram alguns documentários e um longa-metragem, Destino, que não foi muito bem recebido pela crítica no Brasil: “Eu percebi que o filme ficava um pouco no meio do caminho entre as culturas. Ele não era feito especialmente para o gosto chinês e nem especialmente para o gosto brasileiro. Isso é um problema do filme e eu tenho que lidar com ele.

Budista, seguindo a linha tibetana de Dalai Lama, a atriz afirma que lidou de forma pacífica com a postura dos críticos, que a vaiaram e foram bastante agressivos durante a exibição do filme no Festival de Paulínia. O Provocações será reapresentado no domingo (11/11), às 21h.