O canal de televisão por assinatura +Globosat realiza a partir da meia-noite de sexta-feira, 4 de janeiro, uma maratona com as duas primeiras temporadas de “Underbelly” e dois telefilmes do sucesso australiano, que está em sua quinta temporada em seu país de origem e foi exibido pela primeira vez no Brasil em 2011 somente em alta definição através do Globosat HD. A série apresenta uma história diferente a cada temporada, sempre baseado em um crime real acontecido na Austrália em diferentes épocas. A maratona de “Underbelly” vai ao ar até o dia 31 de janeiro, sempre no mesmo horário.

A primeira temporada vai ao ar entre os dias 4 e 16 de janeiro e se chama “Underbelly: The Gangland Wars”. A história se passa entre 1995 e 2004 em Melbourne, palco de uma violenta guerra de gangsteres que assombrou o país. Baseado nesses fatos, os autores John Silvester e Andrew Rule escreveram o livro “Leadbelly”, obra que deu origem ao seriado. A primeira temporada é uma instigante dramatização dos crimes da máfia da cidade australiana, retratando também a ascensão e queda da carreira criminosa de Carl Williams, homem cuja ambição era tornar-se o rei do submundo de Melbourne.

Na quinta-feira, dia 17, o +Globosat exibe o primeiro telefilme da série, chamado “Underbelly Files: Tell Them Lucifer Was Here”, contando a trágica história do assassinato de dois oficiais da polícia do Estado de Vitória, Rod Miller e Gary Silk, ocorridos em 1998, e destacando os esforços incansáveis da Força-Tarefa de Lorimer para encontrar os assassinos. Mexendo com toda a força policial, a investigação criminal foi a maior na história do estado australiano de Vitória.

Entre os dias 18 e 30 vai ao ar a segunda temporada, “Underbelly: A Tale of Two Cities”, tendo como pano de fundo uma geração antes da guerra entre gangues exibidas na primeira temporada. A história se passa entre 1976 e 1987 e fala sobre como dois homens mudaram a face do crime organizado na Austrália. Aussie Bob Trimbole e Kiwi Terry Clark eram como uma dupla improvável. Eles se encontraram pela primeira vez em 1976 e, juntos, organizaram a importação e distribuição de heroína em larga escala no país. Com o fácil êxito de seus planos, o submundo é inundado pelo dinheiro das drogas e ocorre uma reviravolta na natureza do crime organizado na Austrália.

Fechando a maratona, na quinta-feira, dia 31, vai ao ar o segundo telefilme, “Underbelly Files: Infiltration”. A história se passa na metade dos anos 90 quando a N’drangheta, a máfia calabresa, controlava a produção e a distribuição de maconha na Austrália. A N’drangheta era a mais secreta das sociedades secretas, ou você nasce dentro de uma família ou, na melhor das hipóteses, casa-se com um de seus membros. Eles eram altamente eficientes, muito ricos e incrivelmente brutais. Mesmo as mais famosas gangues de motociclistas da Austrália, muitos dos quais experientes traficantes de drogas e nada tímidos quando se tratava de violência, estavam contentes em deixar o negócio da maconha nas eficientes mãos da N’drangheta. Porém, esse sucesso custou caro à N’drangheta, resultando na maior apreensão de drogas da história da Austrália na época e no fim dos dias de intocáveis de seus membros.