Volta ao ar no +Globosat no sábado, dia 22, às 22h, a primeira temporada de “Braquo” (classificação 16 anos). A série começa com o suicídio de um policial após ser acusado por um crime que não cometeu. Inconformados, amigos e parceiros de trabalho da vítima decidem fazer uma investigação pessoal para vingar a morte do colega e prender os verdadeiros criminosos. “Braquo” é um drama francês com oito episódios e sua segunda temporada conquistou recentemente o Emmy Internacional de Melhor Série de Drama. (Fotos de divulgação disponíveis aqui e aqui)
Sucesso de público e crítica na França, “Braquo” apresenta o novo rumo que as vidas dos policiais Caplan, Morlighem, Vachewski e Roxane ganham quando Roxi, o comandante do patrulhamento, comete o suicídio. Eles buscam a todo custo lavar a honra do chefe e se envolvem em um perigoso jogo.
Pressionados pela administração e perseguidos pela Corregedoria, acabam deixando as regras de lado e adotando um modo de vida guiado pela adrenalina. A série acompanha de perto a trajetória deste quarteto que, agora com vida dupla, mergulha progressivamente na violência e na paranoia, ainda que no exercício de seu trabalho. Enquanto os amigos se dividem entre o bem e o mal e assumem riscos, tudo indica que o destino deles é a prisão ou a morte.


"Braquo"/Divulgação +Globosat

SINOPSE DOS DOIS PRIMEIROS EPISÓDIOS

Episódio 101 – “Max”
Caplan, Morlighem, Vachewski e Roxane prendem Lemoine, expoente do crime, após terem extorquido informações com seu advogado. O homem é solto devido à atuação indevida dos policiais. Por sua vez, Rossi, o carismático chefe do grupo, é acusado de estupro. Uma queixa é feita por Benaïssa, um homem interrogado por Rossi em um caso de homicídio. A Corregedoria investiga.
Visando limpar a reputação do seu chefe e confundir a acusação, os quatro tiras vão tentar resolver o caso de homicídio no qual Benaïssa está envolvido. Suas vidas são viradas de cabeça pra baixo.

Episódio 102 – “La Ligne Jaune”
Sem tempo para respirar. Tudo é doloroso, machuca a carne, rasga a alma… Caplan e os seus homens encontram-se sozinhos: De um lado, a corregedoria, do outro, os bandidos. Felizmente, Bordier, o comissário quase aposentado, mas ainda na ativa por alguns dias, é solidário.
Porém, diante da pressão, o grupo se divide. Roxane tem problemas de consciência. Lemoine esmurra Vachewski e é informado que foi o advogado deste último que lhe entregou aos tiras. Morlighem tem dívidas no jogo de pôquer e pede ajuda a Caplan para resolvê-las.