Após a descoberta da internet, o acesso à informação e entretenimento se tornou cada vez mais dinâmico, graças a uma variedade de conteúdo disponibilizado em diferentes locais. Com isso, o perfil dos clientes mudou, fazendo com que eles ficassem mais exigentes quanto à qualidade tanto do conteúdo, quanto do serviço prestado por empresas que atuam neste setor. Tais fatores, somados a popularização da internet Banda Larga, intensificaram a criação da IPTV, também conhecida como Televisão por Protocolo de Internet.

Basicamente, trata-se de uma tecnologia de transmissão de sinais para aparelhos de televisão digital e outros meios, que funciona do mesmo modo que o sistema VOIP (Voz sobre IP). Este serviço é focado no transporte de conteúdo via protocolo de internet, conhecido também como IP (Internet Protocol), ou seja, você não receberá mais o sinal de televisão pela antena ou cabo de uma operadora, e sim via internet.

Para Marcio Cavalini, presidente da Unotel, empresa que disponibiliza soluções de IP trânsito, transporte de dados, vídeo, telefonia IP e serviços para o segmento de ISPs, a expansão acelerada da IPTV no Brasil deve-se a uma mudança da realidade brasileira como um todo. Dessa forma, há a necessidade de segmentar determinadas estratégias, e adaptá-las de acordo com o mercado de atuação. Há alguns anos, apenas grandes entidades possuíam este tipo de tecnologia. Hoje, há empresas que investem em projetos nesta área, visando atender basicamente pequenos e médios provedores de internet, como é o caso da Unotel.

Para se ter ideia da dimensão e aceitabilidade deste tipo de serviço, a consultoria Dataxis prevê que no ano de 2017, o Brasil terá 3,9 milhões de usuários de TV paga com tecnologia IPTV (TV via rede IP). Os dados desta mesma pesquisa ainda apontam que surgirão, em média, 200 novas empresas de TV paga, com atuação voltada principalmente no interior do país, levando em consideração as novas regras da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), aprovadas no ano passado.

"Com o aumento na sofisticação dos serviços oferecidos, investir em um planejamento único para atender todos os clientes da mesma forma, hoje não seria uma boa estratégia. Levando tal fato em consideração, decidimos investir em um projeto produzido em Rede IP, apresentando convergência DTH para IPTV, com SBT híbrido, completamente IP, voltado especialmente a pequenos provedores de internet, espalhados por todo o Brasil. Sem muitos detalhes, já que ainda estamos em fase de estudo e análise de mercado, podemos garantir que esta iniciativa se diferencia por ser neutra, garantindo total confidencialidade e transparência a nossos clientes", explica Marcio Cavalini.