Na série “Loucos por Armas”, que estreia na sexta-feira, dia 4, às 22h15, no National Geographic Channel, todo dia é dia de “brincar” com o fogo para Christian e Alex Cranmer, pai e filho que compram, vendem e restauram algumas das armas de fogo mais raras do mundo. Mas, com dois especialistas na família, embaixo de um telhado de um armazém, a política do escritório pode ser tão explosiva quanto as armas que estão sendo vendidas. A dinâmica da família assume um sabor único no Antiquário de Armas Militares (local que fornece armas militares para colecionadores) dos Cranmer onde as questões do dia incluem comprar ou não um tanque da época da Guerra da Coreia de US$250 mil. Descobrir o caminho a tomar não é fácil, especialmente quando o único lugar para aprender o valor real dos bens está no campo de tiro.

"Nós vendemos a história", diz Alex. E isso não está nos livros; está nessas armas preciosas, como uma pistola de US$ 40.000 da Batalha de Trafalgar; um tipo de um protótipo de um revólver de US$ 50.000 da Guerra Civil Americana, e dezenas de raros rifles e metralhadoras da Primeira e da Segunda Guerra Mundial.

O escopo do negócio no Antiquário de Armas Militares se estende por séculos de guerras, tocando em todas as vertentes da história, e é literalmente construído em lenda. Suas armas são algumas das mais raras do planeta e podem buscar dezenas de milhares de dólares dos clientes certos. Para encontrar os colecionadores que podem comprá-las, Alex e Christian vão viajar pelo mundo para encontrar compradores e participar de encenações de guerras mundiais e duelos de cavalheiros. Peças de sua coleção têm encontrado seu caminho em museus, prateleiras de lojas e até mesmo cenários de filmes, incluindo "O Resgate do Soldado Ryan".