A Oi foi a operadora que mais ampliou seu market share em telefonia celular pós-paga em janeiro. De acordo com dados divulgados esta semana pela Anatel, na comparação com dezembro de 2012, a ampliação foi de 0,15 ponto percentual, passando a deter 15,9% desse segmento. A Oi também foi a companhia que mais cresceu em participação no mercado pós-pago ao longo do ano passado, período em que avançou 2,8 pontos percentuais. A ampliação da participação da companhia reflete seu plano estratégico, que tem como foco o investimento em clientes de alto consumo.

Em janeiro, a companhia adicionou 162 mil linhas ao seu total de clientes, o equivalente a 2% de sua base – a maior expansão proporcional entre todas as operadoras, com a segunda colocada ampliando seu total de clientes em 1,2%. Com esse desempenho, a Oi acelerou seu crescimento nos últimos 12 meses, passando dos 2,33 milhões de clientes (adicionados entre e dezembro de 2011 e dezembro de 2012) para 2,38 milhões (entre janeiro de 2012 e igual período de 2013). Assim, a companhia alcançou em janeiro 8,2 milhões de clientes de pós-pago. A Oi foi a única operadora com expressivo crescimento de market share nesse segmento em 2012. O desempenho também é consequência da estratégia de vendas da companhia, que engloba fortalecimento das regionais, abertura de lojas próprias, subsídio de aparelhos e ofertas agressivas.

Em 2012, a Oi acumulou prêmios em reconhecimento às suas ofertas, as mais econômicas para os clientes. Em dezembro, a companhia ganhou o Prêmio Pricez de Melhor Oferta de Natal 2012. Em estudo comparativo realizado pela consultoria, a companhia liderou em preço em todas as 67 localidades pesquisadas para os perfis de consumo médio e alto. Foi a terceira vez no ano que estudos da Pricez avaliaram que a Oi tem as ofertas mais competitivas para a maior parte dos perfis de consumo de telefonia celular. Além da consultoria, uma associação nacional de consumidores destacou a Oi como a empresa com as melhores opções de planos para clientes que acessam a internet pelo celular. O resultado da companhia foi destaque na pesquisa da Proteste, segundo reportagens de veículos como G1 (