ae Dirk e Ruckus formam uma dupla de bon vivants do século XXI, que prescinde de coquetéis e smokings. Estes rapazes se tornaram célebres por suas piadas, desenvoltura e sua grande afeição pelas tatuagens mais espantosas de Las Vegas. Na próxima semana o canal de televisão por assinatura A&E exibe os últimos episódios da primeira temporada de Bad Ink.

[creditos:12f3ad2eec]
Divulgação / A&E [/creditos:12f3ad2eec]

Nessa cidade ninguém está livre de acordar e se arrepender da noite passada. Para tentar consertar as tatuagens feitas no calor do momento (ou no ápice de um instante alcóolico) esta dupla leva seu bom-humor para as ruas de estridentes de Vegas e vai à caça de participantes de convenções, turistas e até locais, revistando as piores tattoos estampadas em pele humana. Poucos sortudos terão a oportunidade de ter um desastre transformado por Dirk em arte corporal.

Bad Ink, série exclusiva do A&E, acompanha a dupla e revela as tatuagens mais horrorosas e ouve as histórias mais estranhas sobre esses erros quase permanentes. Há momentos inesperados pelo caminho: a excepcional comédia da vida real na Las Vegas de Dirk e Ruckus, as aventuras de Dirk para criar duas filhas como pai solteiro e o modo de viver da dupla, ao estilo Vegas, desses personagens que “limpam” o mundo da tinta ruim.

Em 14 de abril, segunda-feira, às 22h30, Rob e Dirk encontram Vince, um cara com uma tatuagem embaraçosa feita em um lugar pior ainda. Depois, recebem o telefonema de Emily, que está começando uma nova vida no Brooklyn e precisa muito de ajuda. Há alguns anos, quando fazia uma turnê com a banda de um amigo, ela resolveu tatuar um dos “rabiscos” dele em seu braço.

E no último episódio da primeira temporada, às 23h, Dirk e Rob vão ao resgate de uma modelo que tomou uma decisão precipitada: depois de uma briga com a avó, foi a um tatuador da vizinhança e fez uma tatuagem ofensiva a ela. Já Johnny, o artista tatuador amigo de Dirk, deixa um cliente satisfeito fazendo nele a tatuagem sexy de uma mulher com chifres e sangue.