Record, RedeTV e SBT travam uma batalha de negociações desde março deste ano com as principais operadoras de TV por assinatura do país.

- Publicidade -

As emissoras, através da Simba, acreditavam que o apelo popular das emissoras seria suficiente para receber um valor aproximado de 15 reais por mês pelo distribuição do sinal digital dos três canais. E crendo nisto solicitaram às operadoras que o sinal fosse cortado no dia 29 de março por falta de um pronto acordo.

O tempo passou, valores menores foram "vazando" na imprensa. As operadoras se recusaram a pagar o valor cobrado, algumas se recusaram mesmo a negociar.

Sem resultado a curto prazo, a Simba decidiu liberar novamente o sinal de seus canais, sem custo, enquanto ainda busca uma solução junto às operadoras. Apesar disto, as operadoras ainda não divulgaram se pretendem retornar imediatamente com as três emissoras.

Confira abaixo o comunicado divulgado no início da noite desta quinta-feira, dia 29 de junho:

"A Simba vem esclarecer que, diferentemente do que está sendo noticiado de forma equivocada, não encerrou as negociações dos sinais das empresas que representa.

Continuamos perseguindo a negociação em torno de um valor justo, de forma equilibrada e de boa fé com todas as operadoras.

Sabemos que esta negociação trouxe impactos aos milhões de assinantes e, por esse motivo, ao sermos consultados pela entidade de defesa do consumidor Proteste sobre nossa concordância ou não em retornar com os sinais de RecordTV, RedeTV e SBT de forma temporária enquanto avançam as negociações, a Simba se posicionou favorável a isso, desde que fiquem preservados integralmente os diretos de negociar os sinais das emissoras de forma onerosa e sem prejuízo das ações em andamento.

Cabe agora às operadoras avaliarem a mesma disposição. Estamos empenhando todos os esforços no sentido de concretizar essa negociação na maior brevidade possível em benefício de todos.".

A mudança no posicionamento da Simba ocorre após a chegada de Ricardo Miranda, ex-CEO da SKY, para negociar com as operadoras.

- Publicidade -