record Assassinatos, denúncias de corrupção, jazidas de ouro disputadas à bala e fortunas desperdiçadas do dia para a noite. Em contraste, a miséria por todos os cantos. Histórias reais de garimpeiros de verdade numa terra cercada de mistérios, um lugar onde o tempo parou. Nesta sexta-feira, 31 de janeiro, à 0h15, no Câmera Record, todos os mistérios de Serra Pelada.

[creditos:699296cad6]
Divulgação / Record [/creditos:699296cad6]

Atentados, execuções e gente marcada para morrer. A disputa pela riqueza do ouro provocou uma série de assassinatos no sindicato dos garimpeiros da região. Uma luta entre interesses diversos que é resolvida na base do tiro. Entre os dirigentes da entidade, há quem viva em constante estado de alerta, cercado de seguranças e protegido por coletes à prova de bala. No meio desse faroeste amazônico, o sumiço de R$ 59 milhões. O que aconteceu? Onde foi parar tanto dinheiro?

O programa também exibe uma entrevista com Sebastião Rodrigues de Moura, o Major Curió. O militar que tinha enfrentado a guerrilha do Araguaia foi o encarregado de garantir a ordem em Serra Pelada. Major Curió não permitia armas no garimpo, nem bebidas, nem mulheres. O que ele tem a dizer sobre os anos de chumbo na terra do ouro?

E ainda: histórias de garimpeiros que chegaram a encontrar mais de mil quilos de ouro e que em pouco tempo não tinham mais nada. Um deles chegou a juntar o equivalente a R$ 122 milhões. Hoje, ele vive na miséria , com a ajuda de vizinhos. Na mesma situação, também estão as mulheres que ganharam dinheiro com a prostituição. Muitas até hoje ainda estão por lá, perdidas no tempo.