[creditos:594706ef1a]
Imagem da chave no espaço (Divulgação)[/creditos:594706ef1a]A vida humana é centelha no universo que dividimos com incontáveis corpos celestes. Talvez seja justamente a insignificância o elemento que nos dá a ousadia necessária para ir além, explorar os limites da tecnologia e chegar cada vez mais longe no cosmos.

- Publicidade -

Neste sábado, 19 de novembro, às 11h55 (com reprise na segunda-feira, 21 de novembro, e terça-feira, 6 de dezembro, à meia noite), o Discovery revela como uma tecnologia genuinamente brasileira pode ajudar na conquista da próxima fronteira, a chegada do homem a Marte, com a produção local Mundo Inovação: Imprimindo o Futuro. O documentário de uma hora acompanha o trabalho de engenheiros para viabilizar impressões 3D em gravidade zero.

O objetivo da equipe internacional, formada por engenheiros brasileiros e americanos, é iniciar a manufatura de ferramentas e peças de reposição de origem renovável fora da Terra. A empresa Made in Space é fornecedora da Nasa e desenvolve impressoras 3D que funcionam em gravidade zero, bem como os projetos a serem impressos. Paralelamente, os brasileiros da Braskem se concentram na criação de um material que dará forma aos objetos impressos e utilizados pelos astronautas.

A primeira missão conjunta é imprimir no espaço os conectores de tubos que irrigam plantas, possibilitando a produção de alimentos na Estação Espacial Internacional. Além do empecilho da ausência de força gravitacional, é preciso chegar a um material que tenha a resistência e flexibilidade ideias.

A tecnologia brasileira a serviço das próximas conquistas no espaço é um biopolímero produzido a partir do etanol de cana-de-açúcar, ou “polietileno verde”, e que foi adaptado com exclusividade pela Braskem para a Made in Space. Mundo Inovação: Imprimindo o Futuro acompanha todo o processo de criação do material, incluindo os primeiros testes na Estação Espacial Internacional.

Marcelo Gleiser, físico, autor e fonte do documentário diz: “É possível que a gente possa criar biosferas dentro de Marte, que a gente possa existir por lá”. Também falam às câmeras engenheiros brasileiros da Braskem. Além de Gleiser, são entrevistados pelo documentário o astronauta Jon McBride, o presidente da Made in Space, Andrew Rush; o cientistas associado à NASA Pete Hasbrook; e Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

- Publicidade -