Como tantas pessoas, de diversas cidades e países, uma mineira vai para São Paulo a trabalho, deixando para trás amigos e familiares. O ano era 1982. Sozinha na metrópole, ela tem a coragem de poucos: escreve um anúncio comovente em um jornal pedindo ajuda para "uma solidão que não sei definir, mas que me atormenta".

- Publicidade -

Ao longo dos seis meses seguintes, quase 500 cartas chegariam à caixa postal mencionada na nota. Trinta e cinco anos depois, o documentário "Mineira Solitária", da GloboNews, uma ideia original de Liliana Junger, com roteiro e direção de Renata Baldi, revisita a história de Lúcia Ribeiro e de pessoas que responderam ao seu chamado.

Entre pedidos de casamento, conselhos, cartas comoventes e dramáticas e ofertas religiosas estão relatos contundentes e atemporais sobre a solidão, que assume diversas formas : ora indesejada, ora por opção. As cartas são, nesta história, o elo principal entre personagens e suas vidas singulares e surpreendentes. Depois de quase quatro décadas, o documentário revela os rostos por trás das cartas – todas guardadas até hoje – e o que cada um fez de sua solidão, incluindo ela mesma, hoje com 82 anos de idade.

"Mineira Solitária" estreia dia 07 de abril, às 16h30 no ‘GloboNews Documentário’.

- Publicidade -