O que há por trás de um humorista irreverente? No “Viva Voz” desta semana, Sarah Oliveira descobre um pouco sobre a realidade de Danilo Gentili e sobre as impressões que o público tem sobre ele. Para recolher os depoimentos, a equipe do programa vai a uma loja de roupas, uma aula de axé, uma dinâmica de grupo e ao calçadão do Rio. E o local da entrevista não poderia ser mais propício: uma mistura de bar e teatro em São Paulo, do qual ele é sócio.

- Publicidade -

Durante a entrevista, o comediante assume que sempre levou jeito para o humor, apesar de não exercitar muito em casa. “Eu sempre fui o chato da classe, o engraçadinho que esperava a professora falar para fazer uma piada em seguida, que tomava suspensão por causa disso. Diferente da minha casa. Na minha casa eu era mais retraído porque eu me sentia muito deslocado”, revela.


Divulgação GNT

Gentili também elege um momento marcante da sua vida: a primeira vez que subiu em um palco para fazer stand up comedy. “Era um época que minha vida estava muito ruim. Eu tinha perdido meu pai, minha irmã, emprego, namorada, tudo. Eu estava sem chão nenhum. Aí, eu pensei: vou fazer o que eu gosto. Não existia esse cenário de stand up que existe hoje aqui, mas eu sempre gostei do gênero. Escrevi uns textos, fui num bar fazer e as pessoas riram e eu me realizei muito. Foi uma fuga para mim”, lembra ele, que conta também que já dormiu em ponto de ônibus por conta da rotina de shows.

No bate-papo com Sarah, o comediante ainda fala de rotina, praia, costumes, trabalho e muito mais. O último episódio desta temporada de “Viva Voz” vai ao ar no dia 28 de dezembro, às 21h, no GNT.

- Publicidade -