gvt Durante debate no Centro Paula Sousa, em São Paulo, nesta segunda-feira, dia 16 de dezembro, a operadora de multisserviços GVT, em parceria com as ONGs Comitê para Democratização da Informática (CDI) e SaferNet, organização criada para combater crimes e violações dos direitos humanos na rede, apresentou o novo programa sobre Internet Responsável que já alcançou cerca de 3 milhões de pessoas com conteúdos educativos desde 2008.

Com informações voltadas à inclusão digital e à conscientização de internautas acerca dos benefícios e riscos do ambiente online, a grande novidade desta edição é o canal exclusivo para adolescentes e jovens. O conteúdo do site www.internetresponsavel.com.br foi construído a partir da pesquisa sobre hábitos de navegação realizada pela GVT e SaferNet com mais de 2.800 participantes de todo o Brasil.

A proposta é conversar mais de perto com esse público, com linguagem direta e descontraída, infográficos, interatividade e muitas ilustrações. Para o diretor de Marketing e Comunicação da GVT, Ricardo Monteiro, o programa Internet Responsável está alinhado à percepção da empresa de que o serviço de telecom está intimamente ligado ao desenvolvimento social e à criação de novas oportunidades para as gerações conectadas. “A GVT é referência em ultravelocidades de Banda Larga e se preocupa com o uso dessa ferramenta. Trabalhamos para a formação de uma geração de internautas sadia, capaz de explorar a tecnologia da melhor forma, contribuindo para seu desenvolvimento, avessa a casos de superexposição ou cyberbullying, por exemplo”.

De acordo com diretor de Atendimento e Prevenção da SaferNet, Rodrigo Nejm, um dos principais pontos tratados pelo programa é a conscientização do jovem acerca da privacidade na Internet. “A pesquisa apontou que aqueles que não se preocupam com privacidade têm mais amigos virtuais e compartilham seus dados pessoais de forma totalmente pública”. O cenário se repete com os pais – 15% realizam check-in, 11% telefone pessoal e 5% o endereço na Internet. Ainda de acordo com a pesquisa, 65% dos pais não acompanham a rotina dos filhos na web.

Além do site, o programa está disponível gratuitamente em formato de aplicativo (GVT Educa) para IOS e Android, em linha com as tendências apontadas pela pesquisa. Enquanto em 2009 apenas 5% utilizavam celulares para se conectar, hoje são 38%. Na época, o principal meio de acesso à web eram as lan houses, com 49%, hoje esses locais representam apenas 10%.