history Uma explosão: 73 segundos de puro pânico depois do lançamento de um foguete se transformaram em um dos acontecimentos mais chocantes da história espacial americana. O ano era 1986 e tratava-se do ônibus espacial da NASA, o segundo a ser fabricado após o Columbia. O desastre matou todos os tripulantes, inclusive a primeira civil a embarcar numa missão assim, a professora Christa McAuliffe, e paralisou o programa espacial americano durante meses. A Comissão Presidencial foi imediatamente convocada para investigar o ocorrido. Devido à complexidade do maquinário e tantos interesses envolvidos, no entanto, descobrir a verdade tornou-se um desafio quase impossível.

- Publicidade -


Cena do especial "Ônibus Espacial Challenger"
Divulgação/History

Foi então que entrou em ação Richard Feynman, membro independente na investigação e um dos cientistas mais talentosos de sua geração – físico ganhador do Nobel de Física em 1965, por seu trabalho com eletrodinâmica quântica, autor do conceito de computação quântica e um dos participantes do Projeto Manhattan, responsável por criar a primeira bomba atômica. Feynman é a figura central do especial "Ônibus Espacial Challenger". Interpretado por William Hurt, o cientista usou de integridade excepcional e lógica científica implacável para investigar os segredos do desastre e ajudou, assim, a tornar o programa espacial dos Estados Unidos mais seguro. Feynman chegou a ir a público a fim de explicar as causas do acidente que chocou os Estados Unidos e fazer uma demonstração do que havia falhado durante o lançamento, em rede nacional e ao vivo.

"Ônibus Espacial Challenger" estreia em 28 de janeiro, às 22h no History Channel.

- Publicidade -