[creditos:ae4fa78a84]
Joaquim Barbosa é o entrevistado do Jô Soares (Divulgação)[/creditos:ae4fa78a84]
Após dois anos longe da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF), o jurista Joaquim Barbosa visita o ‘Programa do Jô’ e conta como está sua rotina. Atualmente, ele se divide em duas funções: criou um pequeno escritório de consultoria em São Paulo e viaja o Brasil com suas palestras.

- Publicidade -

Nesta quinta-feira (1º), ele também recorda a infância e a época de estudos em Brasília. Quando criança, os colegas o apelidaram de Fritz; já na faculdade, Joca se transformou no seu codinome. Mesmo assim, família e amigos mais próximos sempre o chamaram de Dito, por causa de seu segundo nome, Benedito. Aos 62 anos, o jurista conta que quando foi nomeado para presidir o STF já estava há pelos menos 30 anos servindo o Estado brasileiro.

Ao ser perguntado por Jô Soares sobre a possibilidade de concorrer à presidência, Joaquim Barbosa é direto: “Não tenho interesse”. O jurista se descreve como um “livre pensador”: “Nunca gostei de me filiar a grupos e correntes”. A bagagem acadêmica se alinha com a cultural de Barbosa, que já morou em alguns países, dentre eles a França, onde completou os estudos e fomentou hábitos até hoje praticados, como o assistir ao telejornal francês diariamente.

O ‘Programa do Jô’ com Joaquim Barbosa será exibido hoje, 1º de dezembro, logo após o ‘Jornal da Globo’.

- Publicidade -