Olá, internautas

- Publicidade -

O chamado “efeito cascata” é sempre almejado pelas emissoras. O programa entrega para o outro para que este amplie ou, pelo menos, mantenha o público. Na Band, Catia Fonseca vai ao ar com uma difícil missão. A apresentadora herda a audiência prioritariamente masculina do antecessor “Os Donos da Bola”. Craque Neto já herda o público do “Jogo Aberto”. Missão mais fácil, já que o esportivo liderado por Renata Fan aborda o mesmo universo futebolístico.

Catia comanda a sua atração voltada mais ao público feminino. Ela, normalmente, não mantém os índices de Neto e nem de Renata. Telespectadores diferentes. Há um “choque” na diretriz da programação.

Posteriormente, a apresentadora entrega sua audiência para José Luiz Datena com o “Brasil Urgente”, maior índice de audiência da Band. Na transição dos dois programas, um mais voltado para o público feminino e outro que atinge mais homens, Datena e Catia protagonizam o “Papo de Janela”. Cerca de 15 minutos.

Os dois comunicadores conversam sobre assuntos aleatórios. Com um ar leve e descontraído. Passam a imagem de dois amigos que batem um papo informal. Isso já ocorria, há mais de 20 anos, na Record, na transição entre “Note e Anote” e “Cidade Alerta”. Portanto, Datena e Catia já possuem um bom entrosamento.

Datena até conversa com os colaboradores do “Melhor da Tarde”, mais especificamente com André Mantovanni. Pede aos telespectadores mandarem perguntas, através da sua conta no Facebook. Em seguida, o tarólogo tira as cartas e responde as indagações do público.

O público de Catia permanece no “Brasil Urgente”, enquanto a “turma” de Datena começa a chegar. Estratégia inteligente.

Datena e Catia, com perfis completamente distintos, formam uma boa dupla.

Fabio Maksymczuk

- Publicidade -