[creditos:b5216075bc]
Maria Prata apresenta "Mundo S/A" (Divulgação/Globo)[/creditos:b5216075bc]
Casas automatizadas, televisões inteligentes, objetos que se comunicam entre si. O "Mundo S/A" desta segunda (03) na GloboNews, mergulha nesse universo para conhecer empresas que estão lucrando com a chamada “internet das coisas”. São mais de 12 bilhões de dispositivos conectados, e esse número deve ultrapassar os 30 bilhões até 2020. No Brasil, já ultrapassamos a marca de 140 milhões de objetos conectados, que movimentaram US$ 4 bilhões.

- Publicidade -

A Sony é uma das empresas que está investindo nesse mercado. Maria Prata foi à empresa conhecer as possibilidades das televisões conectadas à internet: a AndroidTV chegou ao Brasil no ano passado e já é compatível com mais de 700 aplicativos. Marcelo Gonçalves, gerente de marketing da marca, afirma que há mais de oito milhões de aparelhos conectados na América Latina e que a TV é o principal deles. Com um comando de voz, o aparelho pode fechar as cortinas da casa ou apagar as luzes. Outra função é identificar interesses, como por exemplo sugerir compra de músicas quando as pessoas comentam sobre a trilha sonora de um filme. Por outro lado, isso levanta uma discussão ética sobre a interferência e vigilância dos aparelhos na vida das pessoas, mas a Sony garante que, com os seus aparelhos, isso só acontece mediante a autorização do cliente.

Em Londres, onde há mais de cinco milhões de casas conectadas (e a previsão é que esse número chegue a 45 milhões em 2020), a repórter Ana Carolina Abar conversa com startups que desenvolvem dispositivos para deixar a casa totalmente automatizada. Com eles, é possível acender as luzes, controlar a temperatura, monitorar a segurança, tudo com poucos comandos. Hoje o custo para automatizar a casa ainda é alto: cerca de nove mil euros.

Cadu Novaes conversa com o CEO da Easepet, que oferece um sistema que rastreia o animal e manda todas as informações para o seu celular. Um mercado promissor, que movimentou US$ 800 milhões em 2014, sobretudo no Brasil, que tem a segunda maior população pet do mundo. Também em São Paulo, João Mostacada Carvalho viajou até o interior de São Paulo para conhecer o laboratório da Ericsson, onde a palavra chave é inovação. A mais recente é uma cidade inteligente com o sistema de trânsito conectado, soluções para a saúde e segurança pública, tudo interligado.

Em Nova York, Carolina Cimenti conta a história de um empreendedor que se inspirou nos pais médicos para criar uma embalagem que monitora o uso de medicamentos e envia informações em tempo real pela internet. Nos Estados Unidos, a cada ano, são registrados US$ 300 bilhões em prejuízos a pacientes que não tomam os remédios corretamente, o que gera 125 mil mortes prematuras. “A tecnologia tem muito potencial para melhorar a saúde humana”, acredita o administrador e empreendedor Josh Stein, fundador da Ahara Tech.

O "Mundo S/A" vai ao ar no dia 03 de outubro, às 23h, na GloboNews.

- Publicidade -