sesctv Músico, arranjador e compositor, Dom Salvador mostra as origens da black music brasileira, funk e rhytm and blues acompanhado da banda Abolição, com participação de Tony Tornado. O show foi gravado durante o Nublu Jazz Festival, no Sesc Pompeia, na capital paulista, em 2012. O especial será apresentado na próxima quarta-feira, dia 19 de fevereiro, a partir das 22h.

[creditos:5da70a6258]
Foto: Alisson Louback [/creditos:5da70a6258]

No repertório estão composições como “Number One”; Folia de Reis; Manifesto e BR-3. Com esta, Tony Tornado, junto com o Trio Ternura, venceu a fase brasileira do V Festival Internacional da Canção, em 1970, desbancando concorrentes como Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Com Dom Salvador no piano, o espetáculo traz Zé Carlos, na guitarra; Darcy da Cruz, no trumpete; Rubão Sabino, no baixo; Paulinho, na bateria; Jiló, na percussão; Tino, no sax; e François de Lima, no trombone de válvula. No backing vocal, Adyel; Vandeca; Elton Luiz Ferreira; e Lincoln Tornado; e na voz, um dos precursores da black music no Brasil, Tony Tornado, que há 40 anos não fazia nenhum trabalho junto com Dom.

O programa é pontuado por depoimentos dos músicos, que falam, entre outros assuntos, sobre o início do envolvimento de Dom Salvador com a black music, em 1969, que tinha entre seus representantes nos Estados Unidos James Brown e Kool & the Gangs; a mistura do funk com música brasileira e ritmos nordestinos nas composições do Dom; o que levou Dom a criar a banda Abolição; e o dia em que o Ringo Starr, do The Beatles, ficou impressionado ao ver o grupo tocar.