Um dos mais importantes nomes do teatro no Brasil e na Itália, o cenógrafo, diretor teatral, escritor, figurinista e iluminador Gianni Ratto (1916 – 2005) tem sua obra e trajetória registrada no documentário A Mochila do Mascate, dirigido por Grabriela Greeb, que o SescTV estreia dia 16 de agosto, sábado, às 22h.

A produção é inspirada em livro homônimo e autobiográfico do cenógrafo e o acompanha em seus últimos anos de vida nas cidades de Gênova, Milão, Florença, São Paulo e Rio de Janeiro, visitando os teatros e parceiros de sua trajetória profissional, como o escritor e dramaturgo Dario Fo; o desenhista e cineasta Lele Luzzatti; as atrizes Fernanda Montenegro e Maria Della Costa; e o desenhista, humorista, dramaturgo, escritor e jornalista Millôr Fernandes.

O caminho do teatro é um caminho ondulatório – ele sobe, desce e vai e é como se ele fosse uma onda do mar, de espuma, de cristais, de surpresa por ter peixes grandes maravilhosos, pequenininhos coloridíssimos, animais. Eu acho que o teatro é a somatória de tudo isso: é feito de erva, flor, animais. É o prazer de ser teatro”, define Ratto.