bio Nos anos 60 e 70, mortes aconteciam na Austrália e eram atribuídas ao Mágico, nome dado ao autor criminoso, uma vez que o corpo de suas vítimas simplesmente desapareciam, sem jamais serem encontrados. Um psicopata agia à surdina. Seu nome era Stewart John Regan. Com um histórico de abusos – na infância, torturava animais e na vida adulta, passou a controlar prostitutas, as manipulando por meio de ameaças e violência –, Regan, protagonista sinistro de Crônicas do Crime, no dia 12/5, segunda-feira, às 20h30, teve um final trágico.

[creditos:620f0aa6e5]
Divulgação / Bio[/creditos:620f0aa6e5]

Seus crimes só começaram a ser investigados quando o filho pequeno de uma de suas namoradas desapareceu e a polícia jurou caçá-lo e levá-lo ao tribunal. Antes disso, porém, Regan foi baleado por outro assassino que o deixou sangrando na rua até morrer. Não era como a polícia imaginava, mas de algum modo a justiça foi feita.