Escritor brasileiro, Caio Fernando Abreu (1948-1996) é tema do documentário Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes, dirigido por Bruno Polidoro e Cacá Nazario que estreia na tela da SescTV no dia 24 de outubro, a partir das 23h. A produção visita algumas das cidades por onde o poeta, dramaturgo e escritor passou, como Santiago do Boqueirão (no Rio Grande do Sul), Amsterdã, Berlim, Colônia, Paris, Londres, Rio de Janeiro e São Paulo.

Gaúcho, Abreu teve morte prematura após contrair o vírus HIV, mas viveu tempo suficiente para deixar um acervo com mais de 15 livros publicados no Brasil, além de edições lançadas na França, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Holanda e Bélgica. O amor, a solidão, o ódio e a melancolia são temas recorrentes em sua obra.

Fragilizado pela doença, o escritor sentiu vontade de fugir, de ser outra pessoa e de viver coisas que não tinha vivido. Em seus textos, Caio Fernando Abreu desabafa como alguém que já previa o amanhã, ao mesmo tempo em que observa cada detalhe presente nas pequenas coisas da vida. Experimentava o amor com toda a intensidade, relacionando esse sentimento ao ódio, à morte, ao sexo, à memória e à felicidade.

Homosexual assumido, Abreu registrou detalhes de uma paixão em um de seus escritos. “Sei que o identificaria por aquela tatuagem no braço esquerdo. Um leopardo dourado saltando sobre sete ondas verdes espumantes. E mesmo que fizesse frio e eu não pudesse ver seus braços, reconheceria de longe seus olhos de jade”.