history Dos mesmos criadores de "O Universo" e "O Mundo sem Ninguém", "A Grande História" surgiu a partir do projeto "Big History Project", concebido por Bill Gates e pelo professor de história da Universidade Mcquire (Sidney, Austrália), David Christian, o qual reúne mais de 200 educadores dos EUA e da Austrália.

A série, que o History Channel estreia, faz indagações a fim de mudar a forma como as pessoas olham para o passado. Por exemplo, será que a invasão da Rússia por Napoleão não deu certo por causa de … botões de lata? Teria Nova York se tornado a maior cidade dos EUA por causa do … sal? Como o desastre do Titanic teria ajudado a desenvolver os telefones? Qual é a ligação entre as múmias do Egito antigo e o sanduíche de presunto e queijo? Ao unir a ciência à história humana, "A Grande História" analisa objetos familiares e leva o telespectador a repensar os principais eventos – do Big Bang às manchetes atuais. A série cria um panorama interconectado de padrões e temas que ligam a história a diversos campos da ciência, como astronomia, biologia, química e geologia.


Acena de "A Grande História"
Divulgação/History

No primeiro episódio, às 22h, o programa mostra porque analisar a história do sal leva a desvendar a história do planeta e do universo. Explica como esta simples molécula sustentou civilizações, motivou guerras, construiu monumentos como a Grande Muralha da China, provocou revoluções da Índia à França e é ainda a substância que compõe os pensamentos. Às 22h30, o episódio questiona por que a humanidade sempre foi louca por ouro e revela que existe uma conexão estrutural para essa cobiça e uma explicação microscópica para o seu brilho. A ciência por trás do metal já levou os homens a cruzar oceanos e continentes, e a diferença na forma como ele é utilizado em cada hemisfério pode conduzir a um choque de civilizações.

"A Grande História" estreia no dia 09 de fevereiro, às 22h no History Channel.