Olá, internautas

- Publicidade -

Nesta sexta-feira (19/08), a TV Globo exibiu o último capítulo de “Além da Ilusão”. A novela das seis criada e escrita por Alessandra Poggi, com direção artística de Luiz Henrique Rios, apostou no folhetim clássico.

A autora adotou expressões e gírias típicas dos anos 40, como macambúzio, papagaios, oras bolas, supimpa, fuzarca e carambola, nos diálogos das personagens. A trama trouxe como pano de fundo as radionovelas. Um acerto no enredo, já que neste ano celebra-se o aniversário de 100 anos do rádio no Brasil.

A obra marca a entrada de Larissa Manoela na emissora platinada. A atriz desenvolveu um trabalho correto. Missão árdua em protagonizar uma novela das seis com 21 anos. Por outro lado, Larissa precisará trabalhar melhor a voz em seus próximos trabalhos.

Rafael Vitti e Danilo Mesquita se destacaram na novela desde os primeiros capítulos. Os dois jovens atores aparecem como pontos positivos. Vitti passou o seu carisma ao mágico Davi que usurpou a identidade de Rafael. Já Mesquita conseguiu encarnar as vilanias de Joaquim.

Paloma Duarte também aparece entre os destaques positivos ao viver a sofredora Heloisa. A atriz Olivia Araújo é outro destaque da novela. Viveu com brilhantismo a governanta Augusta. Antonio Calloni encarou o personagem mais complexo da trama. A experiência do ator foi fundamental para passar uma identidade a Matias sem cair em uma caricatura.

A morte de Ursula (Barbara Paz) destoou negativamente no último capítulo. A vilã morreu engasgada com uma pipoca. Desfecho patético.

“Além da Ilusão” não figura entre as melhores novelas das seis. Apesar disso, termina com sua missão cumprida ao elevar os índices de audiência herdados de “Nos Tempos do Imperador”. A trama comumente ficou na casa dos 20 pontos. Agora o bastão está com Mar do Sertão.

Fabio Maksymczuk

- Publicidade -